águas-vivas
Pixabay
Em 2018, foram registrados aproximadamente 111 mil ocorrências.

Segundo dados divulgados pelo Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS), águas-vivas causaram aproximadamente 2,3 mil queimaduras em apenas cinco dias no litoral do estado. 

Leia também: Vídeo flagra PMs atirando de dentro de viatura durante racha 

Apesar de ser menor que a quantidade registrada no mesmo período de 2018, o valor está dentro das expectativas das autoridades litorâneas. Ao todo, na última temporada, foram registrados 111.417 ocorrências envolvendo águas-vivas no litoral gaúcho.

Enconstei  em uma água-viva: o que fazer?

A primeira coisa a ser feita é desgrudar o animal de sua pele. Para isso, especialistas recomendam utilizar a água do mar e pinças ou equipamentos similares para retirar a água-viva.

Após remover o animal, recomenda-se aplicar vinagre-branco no local para amenizar a dor e neutralizar eventuais venenos. Também é recomendo evitar, no primeiro momento, a utilização de água doce, uma vez que ela pode impulsionar a liberação de veneno.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários