Tamanho do texto

Thiago Dayrell nega as acusações e afirma que foi agredido por quatro funcionários durante a briga, em Belo Horizonte: "Eu sou a vítima"

Thiago Dayrell arrow-options
Reprodução/Facebook
Thiago Dayrell

O porta-voz do Movimento Brasil Livre (MBL) em Belo Horizonte, Thiago Dayrell, foi detido pela polícia na noite deste sábado (9) suspeito de ter agredido uma das cozinheiras do restaurante  Takos Mexican Gastrobar. 

Leia também: Mulheres são presas com metralhadora e R$ 27 mil dentro de ônibus

De acordo com funcionários ouvidos pela polícia, o porta-voz do MBL também teria chamado a cozinheira de "crioula" durante a discussão. A confusão teria se iniciado no momento em que Dayrell se exaltou ao reclamar do atendimento enquanto pagava a conta. 

Um dos funcionários teria pedido para que ele abaixasse o tom de voz e Dayrell, então, teria jogado o cartão no balcão e dito: "cobra essa porra logo". Uma das cozinheiras, por sua vez, se aproximou do rapaz para pedir calma, mas ele voltou a se exaltar.  “Não coloca a mão em mim, sua criola”, disse, de acordo com funcionários. 

Os trabalhadores do local contam ainda que Dayrell teria pego a funcionária pelo pescoço e chutado sua perna direita. O porta-voz do MBL nega e afirma que "apenas se defendeu" ao ser agredido fisicamente por quatro funcionários do estabelecimento, após reclamar da demora no atendimento. 

Em entrevista ao portal Bhaz de Belo Horizonte, Dayrell afirmou que levou um chute na cabeça e foi atingido com uma cadeira durante a briga e que pedirá as imagens das câmeras de segurança, além de processar os funcionários do local. 

“Fui autuado como autor porque, infelizmente, hoje na lei se três pessoas mentirem e falarem que eu fiz algo, vou ser autuado. Mas eu tenho como provar e vou provar que eu sou a vítima, que eles me agrediram muito”, disse. 

Leia também: Idosa arremessada de ônibus no Rio morre após ficar 10 dias internada

O restaurante afirmou, em nota, que aguarda a apuração da polícia sobre o ocorrido. “Em resposta à imprensa e aos clientes, o Takos Mexican Bar informa que repudia toda e qualquer forma de preconceito, como o racismo, além de desrespeito ou violência. 

“A empresa esclarece, ainda, que está aguardando a apuração da polícia sobre o caso e está colaborando com as informações necessárias”, finaliza.