Jardim Ângela é o bairro com maior população negra em São Paulo, mais de 60%
Divulgação/Prefeitura de São Paulo/Jorge Yasuo/Ilume
Jardim Ângela é o bairro com maior população negra em São Paulo, mais de 60%

Entre os 12,2 milhões de habitantes de São Paulo, é no distrito de Moema que menos habitam pessoas pretas ou pardas (conforme nomenclatura usada pelo IBGE). São apenas 4 mil dos 83 mil moradores, marca que equivale a 5,82% da população de uma das regiões mais ricas do país. Na outra ponta étnica da cidade, no Jardim Ângela, ser negro é característica comum a 60,11% dos cerca de 295 mil moradores. As profundas diferenças foram evidenciadas pelo Mapa da Desigualdade 2019, idealizado pela Rede Nossa São Paulo.

O índice que representa o Jardim Ângela é praticamente o dobro da média na capital paulista, composta de 32,1% de pretos e pardos. Apenas no distrito, são 177 mil pessoas na zona periférica. A diferença entre a localidade e Moema, no entanto, vai muito além da etnia de quem as compõem. Entre os dois distritos, há as mais profundas distinções em relação ao acesso à saúde, à cultura, ao emprego formal e até mesmo à média de idade ao morrer.

Jardim Ângela: o bairro com mais negros em São Paulo
Matheus Ferreira
Jardim Ângela: o bairro com mais negros em São Paulo


Racismo

Bairro com mais da metade da população negra, o Jardim Ângela registra o quarto menor índice de violência racial para cada dez mil habitantes: 0,12. Moema, entretanto, registrou 2,60, um índice 44% acima da média da capital, que é de 1,8. Os dados foram feitos com base em boletins de ocorrência registrados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP).

Morador de Moema desde que nasceu, e declaradamente negro, Gabriel Oliveira, 31 anos, alega não se sentir um alvo de racismo no bairro. “Em Moema, especificamente, não. Em outros lugares de São Paulo, sim”, conta. Sobre os episódios vividos na região em que vive, no entanto, lembra que, quando criança, sofria preconceito na escola. “Havia poucos colegas negros e eu cheguei a sofrer ainda em idade infantil”.

Coincidentemente, a disponibilidade de empregos formais é inversamente proporcional à incidência de moradores negros. Numa ponta, Moema registra um índice 18 vezes maior de empregabilidade oficial que o Jardim Ângela: 9,4 e 0,5 a cada 10 mil habitantes, respectivamente. Neste indicador, quanto maior o número, maior a disponibilidade de empregos.

Você viu?


Sobre vida e sobre mortes 

Os dados revelam ainda que a idade ao morrer está ligada à cor da pele. No Jardim Ângela, as pessoas morrem, em média, com 58,9 anos. Já Moema é o bairro com maior margem: 80,5 anos - bem acima da média geral de São Paulo (68,7). Vale ressaltar que os cinco primeiros bairros com menor média são periféricos (Cidade Tiradentes, Marsilac, Grajaú, São Rafael e Anhanguera), sendo que em três deles (Tiradentes, Grajaú e Anhanguera), a maioria da população se declara negra.

Hospital Alvorada, em Moema. Um dos mais luxuosos de São Paulo
Divulgação
Hospital Alvorada, em Moema. Um dos mais luxuosos de São Paulo


Os dados mostram ainda que Moema conta com 0,23 Unidades Básicas de Saúde (UBS) para cada dez mil habitantes, menos da metade do que no Jardim Ângela, que tem 0,56. Em leitos hospitalares , no entanto, o bairro nobre conta com 17,99 para cada mil habitantes e o Jardim Ângela, 0,57.


Nos dois bairros, ainda segundo os dados, não há espera para consultas com clínico geral na rede pública. Já para consultas no Programa Saúde da Família, enquanto o morador de Moema não aguarda um dia sequer, o do Jardim Ângela espera cerca de 3,43, abaixo da média de São Paulo, que é de 4,4 dias.

Cultura, pra quê te quero?

Para cada 100 mil habitantes, a cidade de São Paulo dispõe, em média, de 4,0 equipamentos públicos de cultura , como centro cultural, teatro, cinema e museu. Os moradores do Jardim Ângela, no entanto, quase não têm opções culturais, visto que o índice é de 0,61. Moema, por sua vez, fica acima da média, com índice de 6,81. Butantã é o campeão e dispõe de 53,67 equipamentos de cultura. O bairro conta com 16,81% de sua população preta e parda.

Os dados apontam ainda que, enquanto Moema aparece entre os dez melhores bairros em 17 indicadores, Jardim Ângela não aparece em nenhum . O bairro com a maior população negra de São Paulo, porém, tem a 11ª pior média de espera para vaga em creche, não possui salas de cinema, teatro, ou de show e concerto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários