Eunice Cides
Arquivo pessoal
Eunice Cides

Eunice Cides de Oliveira, agente de viagens da empresa Club Med em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, denunciou um colega de trabalho por injúria racial, após ele dizer que "queria que a escravidão voltasse". As informações são da Folha de S.Paulo

Leia também: Jovem morre afogado na frente da esposa durante lua de mel

De acordo com Eunice, foi um caso de assédio com fortes contornos racistas. Ela conta que estava na copa da empresa no horário de almoço quando um de seus colegas, Sérgio Simões, a pegou pelo braço e disse: "Queria que a escravidão voltasse. Não ia ter conversa, você ia ter que fazer sexo comigo". 

"Chegou dizendo que queria que a escravidão voltasse, que eu teria que fazer sexo com ele, repetindo o tempo todoque eu deveria fazer o que ele quisesse", contou ao jornal. "Ainda fazia gestos como se estivesse me chicoteando, fazendo sexo comigo". 

Você viu?

Segundo a agente de viagens, ela foi até o seus superiores para falar sobre o ocorrido no mesmo dia. Eles sugeriram que ela fosse conversar com Sérgio, mas Eunice negou. Ele acabou sendo demitido alguns dias depois, segundo ela, só quando a situação ficou insustentável. 

Eunice afirma que o coordenador, além de ter feito pouco caso à princípio, enviou uma mensagem pelo Whatsapp a xingando. Na intenção de mandar para outro chefe, ele teria mandado para ela. "Filha da p*!! Chata pra caralho!!!!", escreveu. 

Em nota, o Club Med disse que demitiu o funcionário acusado e afirmou que "repudia de forma veemente o racismo". Eunice, por sua vez, está de licença médica por estresse pós-traumático. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários