Homem de terno batendo palma
Fernando Frazão/ABr
Buscas são feitas na casa e no escritório do desembargador Siro Darlan

Agentes da Polícia Federal cumprem mandados de busca e apreensão na casa e no escritório do desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Siro Darlan de Oliveira, na manhã desta terça-feira (24). 

Nos casos investigados pela polícia há suspeitas de que o desembargador fazia negociações em dinheiro para beneficiar detentos. Os pagamentos variariam entre R$ 50 mil e R$ 120 mil, chegando a ser divididos. 

Leia também: Suposto hacker tentou se passar por Paulo Guedes e Joice Hasselmann, diz PF

Chamada de Operação Plantão, a ação da polícia foi batizada por causa das decisões recorrentes do desembargador de dar liberdade para presos em plantões judiciais. Segundo um delator, um dos presos que pode ter sido beneficiado pelo suposto esquema de Siro é o economista Ricardo Abbud, preso em 2015. 

O desembargador já foi alvo de um processo administrativo disciplinar por ser acusado de negociar uma sentença de prisão domiciliar para o miliciano e ex-vereador Jonas Gomes da Silva. O valor cobrado na ocasião também seria de R$ 50 mil.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários