Tamanho do texto

Bar que emprega refugiados é administrado por palestino-brasileiro e foi atacado com garrafas e spray de pimenta na madrugada deste domingo

Al Janiah arrow-options
Divulgação
Bar e centro cultura Al Janiah, na região central de São Paulo, é uma referência para refugiados que vivem na capital paulista

Frequentadores do centro cultural, bar e restaurante árabe Al Janiah , localizado no Bixiga, no Centro de São Paulo, viveram momentos de tensão na madrugada deste domingo (01).

Veja mais: Grupo ataca restaurante que emprega refugiados e web reage: "Fascistas"

Um grupo de homens que passava pela calçada  atirou garrafas e spray pimenta dentro do estabelecimento, tido como  referência entre refugiados.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra frequentadores do lado de fora do bar. Depois, alguns homens se aproximam caminhando devagar e começam a chutar a porta do estabelecimento e lançam spray pimenta. Frequentadores reagem com cadeiras e garrafas. Em seguida, a gravação é interrompida. 

Veja também: Dupla invade estação de metrô na França e ataca passageiros com faca e espeto

Em nota, a direção do bar confirmou o ataque ao Al Janiah.

"Por volta das 3h30 da manhã, um grupo de cinco pessoas se aproximou da porta principal do estabelecimento portando uma faca e spray de pimenta. As câmeras de segurança registraram o momento do covarde ataque que foi prontamente contido pela segurança da casa. Os membros do grupo fugiram na sequência", diz o texto. 

Veja o vídeo:


A direção afirma, ainda, acreditar que a principal motivação tenha sido "o crescente discurso de intolerância e ódio que acomete este país". E afirma estar tomando "as devidas providências" por meio de advogados.

O restaurante é administrado por um palestino-brasileiro, Hasan Zarif. Vários dos funcionários são palestinos que vieram de campos de refugiados na Síria. O local também promove debates sobre política e a situação no Oriente Médio. 

No ano em que foi inaugurado, 2016, a direção do restaurante acusou policiais militares de lançarem bombas de gás lacrimogênio, atingindo clientes e funcionários. Nas redes sociais , refugiados e ativistas sociais lamentaram o ataque desta madrugada.

Internacional: Em menos de 24 horas, 29 pessoas morreram em dois ataques a tiros nos EUA

Bolivianos

Há duas semanas, também causou comoção o caso de dois músicos bolivianos que foram mortos a tiros. Eles eram músicos da banda "Super Explosión". Os artistas conversavam em uma rua no Centro de São Paulo quando ocupantes de dois carros atiraram contra o grupo.

Íntegra da nota do bar Al Janiah:

"Nota Oficial

Como tem sido noticiado em parte da imprensa, o Al Janiah - Bar, Restaurante e Centro Cultural sofreu um ataque na madrugada do domingo (01/09).

Por volta das 3h30 da manhã, um grupo de cinco pessoas se aproximou da porta principal do estabelecimento portando uma faca e spray de pimenta.

As câmeras de segurança registraram o momento do covarde ataque que foi prontamente contido pela segurança da casa. Os membros do grupo fugiram na sequencia.

Acreditamos que a principal motivação deste ato tenha sido o crescente discurso de intolerância e ódio que acomete este pais.

Desde o inicio, o Al Janiah sempre foi conhecido por ser um espaço democrático, de defesa das minorias políticas e acolhimento de refugiados. Sua historia se liga a luta pela Libertação da Palestina.

Institucionalmente estamos tomando as devidas providências por meio de nossos advogados.

Não podemos nos calar diante da escalada do ódio e intolerância em nossa sociedade. Agradecemos o apoio que temos recebido de todos os cantos do Brasil. Não vai ser fácil destruir a solidariedade e os espaços democráticos que foram construídos.

Da resistência palestina, buscamos inspiração: 

"Vocês que passam com palavras efêmeras,
como a poeira amarga, passem onde quiserem, mas
não passem entre nós como insetos com asas
temos o que fazer na nossa terra
temos trigo a criar e regar com o orvalho do nosso corpo
temos o que a vocês aqui não agrada:
temos pedra... e perdiz!" (Mahmud Darwish)

É preciso estar atento e fortes. Seguimos!
Nos mantemos firmes na luta, tão necessária nesse contexto de ataque a democracia. Nossa resistência continua e nossa programação cultural segue normalmente, em defesa da Cultura e celebração da diversidade.

Direção do Al Janiah".