Tamanho do texto

Sem revelar números, Marcus Vinícius Braga disse que ocorrências do tipo de janeiro a julho deste ano são maiores em relação ao mesmo período de 2018

polícia arrow-options
Pixabay/Creative Commons
Mortes pela polícia subiram em relação a 2018

O secretário estadual da Polícia Civil, o delegado Marcus Vinícius de Almeida Braga, afirmou, na manhã desta terça-feira (20), que o número de mortes provocados por policiais deve aumentar até dezembro. Sem revelar a quantidade de ocorrências do tipo de janeiro a julho deste ano, Braga disse que o número é maior em relação ao mesmo período do ano passado.

Leia também: Frentista reage a assalto, rouba arma e mata bandido no Mato Grosso; assista

"É um numero que a tendência é subir até dezembro, porque as ações estão sendo feitas", Braga disse, em entrevista à TV Globo. "Conforme a gente vai trabalhando, as investigações, a inteligência, a integração com a Polícia Militar, a tendência é baixar".

O delegado afirmou também que o número das mortes ainda é "alto" e que "não é um numero que a gente deseja".

"Tenho mais de 1.500 operações em favelas. É muito difícil trabalhar em favela, você tem uma reação muito forte, são muitos fuzis", contou. "Até erram no termo utilizado... uma política de enfrentamento. Não existe enfrentamento. O enfrentamento requer uma hierarquia".

Braga antecipou um dado do período que o Instituto de Segurança Pública (ISP) irá revelar ainda hoje, sobre o número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) no estado. De acordo com ele, de janeiro a julho desse ano foram 2.392 mortes. No mesmo período do ano passado foram 3.101, uma diferença de 709 casos, representando uma queda de 22.86%.
"É o menor numero desde 1991", o secretário comemorou. "Só este ano a gente prendeu 700 homicidas".