Tamanho do texto

A pedido de seguidora, Eike saudou agentes e elogiou trabalho da corporação; "grandes prossifionais", escreveu o empresário em seu Twitter

Eike Batista arrow-options
Reprodução/Instagram
Eike Batista foi preso nesta quinta-feira em sua casa no Rio de Janeiro

Preso  nesta quinta-feira na ação Segredo do Midas, nova fase da Operação Lava Jato do Rio, o empresário Eike Batista utilizou o Twitter há um mês para mandar "um carinhoso abraço para a Polícia Federal". Em tom bem-humorado, ele respondeu ao pedido de uma seguidora — hábito em suas publicações — e fez uma saudação aos agentes da corporação, a quem chamou de "grandes profissionais".

" Eike , @eikebatista, manda um abraço pra Polícia Federal", escreveu uma internauta identificada como Ingrid Freitas, em 9 de julho.

Ele respondeu em caixa alta, recurso que sempre utiliza nas postagens e se tornou praticamente uma marca registrada de sua rotina na internet (em entrevistas, ele explicou que a mania é uma homenagem ao pai, que não enxergava as letras "pequenas").

"UM CARINHOSO ABRAÇO PARA A POLÍCIA FEDERAL!!! GRANDES PROFISSIONAIS", atendeu o empresário.

Elogiada por Eike, a Polícia Federal está cumprindo mandados de prisão que têm como alvo ele e seu contador, Luiz Arthur Andrade Correia (conhecido como Zartha). Estão na mira também, com alvos de busca e apreensão, as residências dos filhos mais velhos do empresário, Thor e Olin. A investigação da Operação Lava Jato busca provas relativas à possível manipulação do mercado de capitais e à lavagem de dinheiro.

Leia também: Delator de Eike lavou dinheiro de joias de Cabral e apareceu no 'Swissleaks'

Eike já havia sido preso pela PF em janeiro de 2017. Na ocasião, a acusação era de de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Quatro meses depois, Gilmar Mendes o libertou. O empresário — que já foi o homem mais rico do Brasil — foi condenado a 30 anos de prisão, mas continuava solto.