Tamanho do texto

Ex-senador está em regime semiaberto e pode ser proibido de sair na próxima sexta. Secretaria informou que está apurando o caso; entenda

Luiz Estevão arrow-options
Agência Senado/Divulgação
Ex-senador Luiz Estevão está preso desde 2016

O ex-senador Luiz Estevão (PDMD), preso desde 2016 por corrupção ativa, estelionato, formação de quadrilha e uso de documentos falsos, foi colocado em isolamento por dois dias no Complexo da Papuda, no Distrito Federal, após supostamente ter cometido assédio contra uma agente penitenciária.

Leia também: Acusado de corrupção dentro da Papuda, Luiz Estevão teria doado imóvel a agente

Em nota, a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), informou que abriu um procedimento apuratório contra Luiz Estevão para avaliar possível desrespeito a agente. 

O ex-senador ficou em isolamento disciplinar preventivo por dois dias, onde ficou sozinho, sem  televisão, ventilador e perdeu o direito de trabalhar fora do presídio. A Sesipe afirma ainda que a ação foi uma medida administrativa inicial e, ao término do procedimento de apuração, caso seja confirmado que houve assédio, avaliará qual será a punição.

Estevão foi condenado a 26 anos de prisão em 2006, acusado de desviar recursos públicos das obras do Fórum Trabalhista de São Paulo. Ele cumpre pena desde 2016 e, em março, conseguiu direito ao regime semiaberto.

O  ex-senador deveria ser beneficiado no próximo "saidão", que acontece nesta sexta-feira. No entanto, caso seja confirmado o caso de assédio, pode não ser liberado. De acordo com a Sesipe, até o presente momento não há nenhuma decisão judicial sobre o regime prisional do detento.