Tamanho do texto

Acusado de estelionato, Daniel Lopes causou prejuízo de até R$ 40 mil a pelo menos 10 mulheres no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo

Daniel arrow-options
Reprodução/redes sociais
Daniel tirava fotos em frente a viaturas da polícia e publicava nas redes sociais

Após um esquema que durou por pelo menos três anos, Daniel Lopes da Silveira, de 38 anos, foi preso no Shopping Morumbi, em São Paulo, por fingir ser um policial federal e enganar mulheres em quatro estados brasileiros. As informações são do jornal Zero Hora .

Leia também: Homens se passam por pacientes para assaltar clínica; veja vídeo

Daniel foi preso no último dia 24, acusado de estelionato, e está na carceragem da Polícia Federal em Porto Alegre. Ele aplicou o golpe em ao menos dez mulheres,  caunsadoprejuízos de até R$ 40 mil em Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná. De acordo com as vítimas, Daniel usava uniformes de policial , andava armado, contava sobre as operações nos mínimos detalhes e publicava fotos em frente a viaturas da PF nas redes sociais.

Ele se relacionava com elas e, depois de um tempo, pedia dinheiro emprestado para pagar alguma dívida "Conheci ele pelo Instagram em março de 2017. Ele se apresentou como policial federal, a gente conversou por um período, e em junho ele veio para Criciúma (SC) e me pediu em namoro. A esse ponto ele já ligava para conversar com a minha mãe. Minha família e meu filho gostavam muito dele”, contou uma das vítimas ao jornal. 

Algum tempo depois, Daniel disse que estava afastado da PF por medidas administrativas e que precisava de dinheiro para arrumar a documentação para vender um terreno, o que causou um prejuízo de R$ 40 mil a ex-namorada. “A corretora ligou para ele na minha frente. Ele disse que precisava de dinheiro para arrumar a documentação desse terreno e falei que ia emprestar. Só que o tempo ia passando, a venda não se concretizava e ele dizia que ia sempre depositar no dia seguinte", relata.

Depois disso, o suspeito começou a ficar agressivo e ligava ameaçando matá-la. Ela só descobriu que nunca mais veria o dinheiro quando, ao procurar pessoas próximas do ex para cobrá-lo, descobriu uma prima nas redes sociais, que na verdade não era parente dele, e sim filha de uma outra vítima. 

Ao conversar com outras mulheres, ela descobriu que Daniel usava as operações da PF como desculpa para manter duas famílias em estados diferentes e já tinha filhos com duas das vítimas. Depois de descobrirem que tinham sofrido um golpe, algumas chegaram a mudar de estado, de país e fazem tratamento psicológico.

Daniel já estava sendo procurado há 4 meses por outra denúncia e foi preso no Shopping Morumbi, em São Paulo. De acordo com o jornal, a mãe, padrasto e irmãos dele ligam até hoje para algumas mulheres pedindo dinheiro. 

Leia também: Traficante pego tentando fugir vestido de mulher é encontrado morto em cela

O homem admitiu ter se passado por policial , no entanto, alega que o objetivo não era conseguir dinheiro. “Ele pedia emprestado e acabava não conseguindo saldar. Porém tais dívidas devem ser dirimidas na esfera cível, no ponto de vista da defesa", alegou a advogada de Daniel, Josiane Schambeck.