Tamanho do texto

Medida atende a pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro. Investigadores não conseguiram acessar dados contidos nos aparelhos

Marielle Franco arrow-options
Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio de Janeiro
A justiça autorizou a realização de uma perícia particular nos celulares dos envolvidos na morte de Marielle Franco.

A Justiça autorizou o envio dos celulares de Ronnie Lesssa e Élcio Queiroz para uma perícia particular depois de a Polícia Civil não conseguir extrair dados dos aparelhos. A medida deve ajudar na investigação sobre a morte da vereadora  Marielle Franco  (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Leia também: Doria sanciona lei que cria "dia de oração pelas autoridades da nação" em SP 

Os promotores do caso enviaram os cinco aparelhos celulares aprendidos com os envolvidos na morte de Marielle para uma empresa particular de dados em São Paulo. A medida atende a um pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

O pedido foi anexado ao restante do processo alguns dias depois que a Polícia Civil emitiu um ofício em que confirmava que não teria conseguido extrair os dados.

Passados cinco meses desde a apreensão dos aparelhos, os investigadores ainda não tiveram acesso aos dados. As autoridades planejam usar as conversas, fotos e vídeos dos celulares para avançarem nas investigações sobre a morte de Marielle .