Tamanho do texto

Suspeita é de que algum membro da família paterna da recém-nascida tenha abusado sexualmente da menina de apenas um mês de vida, no Maranhão

Uma bebê de apenas um mês e uma semana de idade morreu após ser estuprada na cidade de Tutóia, interior do Maranhão. A criança estava sob a guarda do pai, morando com ele, a avó, o avô e três tios após a mãe dela morrer durante o parto.

Leia também: Pai, tio e avô são presos por estuprar menina de 11 anos

A bebê foi levada por uma vizinha até o hospital por estar “passando mal”, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Segundo laudo, realizado no corpo da menina após a morte, ela apresentava "fissuras agudas por trauma físico recente e lesões anais contusas por instrumento de ação contundente de características recentes". 

Ela apresentava, também, lesões vaginais, que significariam um quadro de negligência com a higiene por parte da família. Anteriormente, a família materna da garota já tinha feito denúncias de maus tratos na casa onde ela morava. Segundo os parentes, a menina estava sendo alimentada com farinha e água. 

"Uma criança inocente, que mal veio ao mundo, sem poder se defender, veio a óbito de uma forma tão cruel, tão desumana", lamentou Maria do Socorro da Silva, tia-avó da recém-nascida, em entrevista à TV Mirante.

Um inquérito foi aberto e a suspeita é de que algum membro da família do pai seja o responsável pelo estupro. Um rapaz chegou a ser preso, mas foi liberado em seguida por falta de provas de que ele teria cometido o crime. "Estamos intimando todos os familiares, vamos ouvir um a um", afirmou o delegado responsável pelo caso, Cristiano Morita.