Tamanho do texto

O DJ Gustavo Santos, um dos presos na operação que investiga a invasão do celular de Sergio Moro, afirmou desconhecer a fonte renda de Delgatti Neto

Walter Delgatti Neto arrow-options
Reprodução
Em depoimento, DJ diz ter sido hackeado por Walter Delgatti Neto, um dos acusados de invadir o celular de Sergio Moro

O DJ Gustavo Santos prestou depoimento à Polícia Federal (PF) e negou ter cometido golpes ou fraude. Ele foi um dos presos na " Operação Spoofing ", que investiga a invasão do Telegram do ministro da Justiça, Sergio Moro . O teor do depoimento foi divulgado pela GloboNews .

A mulher de Gustavo, Suelen de Oliveira, também foi ouvida e disse que não sabia de ações, mas confirma informações do marido. Outro preso, Danilo Marques afirma que emprestou o nome para Walter Delgatti Neto .

No depoimento, Gustavo disse à PF que foi hackeado por Delgatti Neto e que desconhece a fonte renda dele, mas nunca realizou "nenhum tipo de golpes ou fraudes bancárias".

Leia também: Verdadeiros mandantes do crime: PF quer saber quem pagou os hackers

Segundo ele, o dinheiro que possui vem de operações de compra e venda de criptomoedas pela internet, além da função de DJ. Afirmou ainda que possui várias carteiras de bitcoin, mas se reservou ao direito não informar o total à PF, bem como a senha e chaves de acesso das contas.