Tamanho do texto

Osmar Terra, Ministro da Cidadania, afirmou que indicadores de fome no Brasil são iguais aos de países desenvolvidos. Segundo relatório da ONU, menos de 2,5% da população brasileira passou fome ao longo do ano passado

Osmar Terra fome arrow-options
Antonio Cruz/Agência Brasil
O ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirmou que o Brasil está no mesmo nível que Japão, Suécia e Noruega em relação à fome.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, disse que o Brasil está no mesmo nível que Japão, Noruega e Suécia em relação à fome. Para basear seu argumento, Terra usou como base o relatório divulgado pela ONU que diz que menos de 2,5% da população brasileira passou fome em 2018. 

Leia também: Mais de 821 milhões de pessoas passaram fome no mundo em 2018, diz ONU

"Se você pegar os dados da FAO (órgão da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) nós temos menos de 2,5% (da população) com risco de subnutrição. É igual da Suécia, do Japão, da Noruega", afirmou o ministro durante entrevista à rádio Gaúcha, nesta quarta-feira (24). 

O relatório divulgado pelo FAO aponta que cerca de 5,2 milhões de pessoas passaram fome no Brasil, o que representa menos de 2,5% da população do País. Suécia , Japão e Noruega apresentam o mesmo indicador. Entretanto, o relatório não diferencia as porcentagens de países com índice de subalimentação menor do que 2,5%. Brasil e Uruguai são os únicos países da América do Sul nessa situação.

Osmar Terra argumentou que, no momento, a questão da subalimentação não é um "problema de saúde pública". "Não existe fome endêmica. Estamos com os índices iguais aos países mais avançados do mundo nesta questão da subnutrição. Então, não há um motivo para acusar o governo ou dizer que a fome voltou ou é um grande problema no Brasil . A obesidade mata mais, inclusive, que os homicídios no Brasil", disse o ministro.

Leia também: "Passar fome no Brasil é uma grande mentira", diz Bolsonaro

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) havia declarado que "passar fome no Brasil é uma grande mentira". Entretanto, não foram apresentados dados que comprovassem a fala de Bolsonaro. Através de seu perfil no Twitter, Terra explicou seu argumento. Confira abaixo: