Tamanho do texto

Polícia Federal prendeu quatro suspeitos na Operação Spoofing

Moro arrow-options
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil - 2.7.19
Casal preso por invasão do celular de Moro movimentara R$ 627 mil em três meses

A Polícia Federal identificou movimentações suspeitas na conta do ex-DJ Gustavo Henrique Elias Santos , preso na terça-feira durante a OperaçãoSpoofing , que investiga a invasão de contas do aplicativo Telegram do ministro da Justiça, Sergio Moro, e outras autoridades.

Leia também: PF apreendeu R$ 100 mil com suspeitos da invasão do celular de Moro, diz revista

Segundo a PF, entre abril e junho, o ex-DJ movimentou R$ 424 mil. Outra presa na operação, Suelen Priscila de Oliveira, movimentou R$ 203 mil. Ainda de acordo com a investigação, a renda mensal de Gustavo é de R$ 2.866, enquanto a de Suellen é de R$ 2.192.

Na terça-feira, a Polícia Federal deflagrou a Operação Spoofing , que resultou na prisão de quatro pessoas . Segundo a PF, o grupo foi responsável pela invasão de contas no aplicativo Telegram do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, do desembargador do TRF-2 Abel Gomes e de mais três autoridades. As ordens de prisão foram expedidas pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira , da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília.

Os quatro presos já haviam sido identificados na terça-feira. Eles são: Gustavo Henrique Elias Santos, de 28 anos, que trabalhava como DJ e já foi condenado anteriormente por posse ilegal de arma; sua esposa, Suelem Priscila de Oliveira, Walter Delgatti Neto e Danilo Cristiano Marques. O grupo foi transferido ainda ontem para Brasília, onde vem sendo interrogado.

Leia também: DJ e "Vermelho"! Conheça os suspeitos da invasão do celular de Moro

As investigações que resultaram na operação começaram após os ataques sofridos por Moro . Há pouco mais de dois meses, ele teria sido alvo de uma tentativa de invasão de suas contas no aplicativo Telegram.