Tamanho do texto

O turista deve pagar R$ 106 para acessar o território do Parque Nacional Marinho; presidente considera a taxa "roubo praticado pelo governo federal"

Fernando de noronha arrow-options
Arquivo pessoal/Ricardo Mello
É cobrada uma taxa de R$ 106 para acessar uma praia no arquipélago de Fernando de Noronha

 O presidente Jair Bolsonaro criticou, neste sábado, uma taxa cobrada para visitar uma praia no arquipélago de Fernando de Noronha , em Pernambuco, e disse que o valor "explica porque quase inexiste turismo no Brasil". Ele comentou na rede social um vídeo em que um homem filma a Praia do Sancho, considerada a melhor do mundo pelo TripAdvisor.

Leia também: Bolsonaro quer revogar decreto que criou estação ecológica no Rio de Janeiro

No Facebook, Bolsonaro citou ser cobrado "R$ 106 para frequentar uma praia em Fernando de Noronha " e que o valor sobe para turista estrangeiro, indo a R$ 212. "Isso é um roubo praticado pelo GOVERNO FEDERAL (o meu Governo). Vamos rever isso", escreveu o presidente. Ele finaliza a publicação pedindo que se "denuncie práticas porventura semelhantes em outros locais". 

O pagamento dessa taxa permite acesso ao território do Parque Nacional Marinho , onde estão incluídas algumas das praias mais conhecidas de Noronha, como a do Sancho e a Baía dos Porcos . O valor pago pelo turista para visitar a praia é válido por dez dias.

Leia também: "Brasil não pode ser o país do turismo gay", defende Bolsonaro

Além desta, ao entrar na ilha de Fernando de Noronha , o visitante deve pagar uma taxa de permanência chamada Taxa de Preservação Ambiental - TPA. Segundo o ICMBio, do Ministério do Meio Ambiente, esta taxa é cobrada e arrecadada pelo Governo Estadual de Pernambuco, que administra o Distrito de Fernando de Noronha. A taxa varia de acordo com os dias de permanência.