Tamanho do texto

Em vídeo que chegou até o Ministério Público, vereadores aparecem dividindo dinheiro apontado como pagamento da prefeitura de Coari

Keitton Pinheiro
Divulgação
Presidente da Câmara de Coari, Keitton Pinheiro nega as acusações de 'mensalinho' dos vereadores


O Ministério Público do Amazonas abriu uma investigação contra os 15 vereadores de Coari, cidade a 363 quilômetros de Manaus, com a suspeita de recebimento de propina em troca de favores ao prefeito Adail Filho (PP). Batizado de 'mensalinho', o caso se estende por toda a Câmara.

Leia também: Juiz reintegrou 32 PMs do Rio expulsos por corrupção em apenas sete meses

Segundo a denúncia, os 15 vereadores recebem o ' mensalinho ' para que os mesmos permitam que o prefeito aprove todas as suas propostas junto aos parlamentares. O caso ganhou mais notoriedade depois de vazar um vídeo em que os políticos dividem dinheiro entre si.

Os dados apresentados pelo MP afirmam que cada v ereador recebia cerca de R$ 10 mil por mês. O dinheiro era desviado de verbas da Prefeitura.

Leia também: Justiça ordena quebra de sigilo fiscal de Sérgio Cabral

O vereador cassado Samuel Castro admitiu que os parlamentares se reuniam para "sortear" o dinheiro todo o mês. Segundo ele, a prática era comum para que não houvesse boicote a nenhum dos políticos.

Atual presidente da Câmara de Coari , Keitton Pinheiro (PTB). nega as acusações do ' mensalinho '.