Tamanho do texto

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram a jovem sem roupas tendo o cabelo cortado e as sobrancelhas raspadas; vítima tem 16 anos

Whatsapp agressão a jovem de 16 anos
REPRODUÇÃO/WHATSAPP
Caso de tortura foi reportado em um grupo no WhatsApp chamado 'As bandidas'

A Polícia Civil do Guarujá, no litoral de São Paulo, apura um caso de agressão e tortura contra uma adolescente de 16 anos. A confusão começou após um suposto envolvimento da vítima com o companheiro da agressora. 

Leia também: Filho de Bolsonaro causa revolta ao divulgar tortura simulada, mas nega apologia

Segundo a irmã da vítima, o caso de  tortura ocorreu no início desta semana e ela ficou sabendo após receber prints das agressões, de um grupo no WhatsApp chamado "As bandidas". Vídeos foram compartilhados nas redes sociais mostrando a jovem nua tendo o cabelo cortado e as sobrancelhas raspadas.

Durante o vídeo, a vítima chora, cobre o resto e implora para que a agressora pare. A mulher ainda corta o cabelo da jovem com uma tesoura. Em outra imagem, ela aparece apenas de calcinha olhando para uma parede. “Uma dica, hidrate seu cabelo hoje porque amanhã você pode não ter. Vacilou, ficou careca”, escreveu a suspeita nas redes sociais.

Leia também: Tortura em interrogatórios mancha a imagem dos EUA, dizem especialistas

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e seguirá em investigação por meio de inquérito policial.