Tamanho do texto

Justiça havia suspendido desligamento do aluno; Pedro Baleotti gravou vídeo durante a corrida presidencial de 2018 dizendo que "negraiada vai morrer"

Homem
Reprodução
Estudante do Mackenzie gravou vídeo com declaração racista


O estudante de direito que gravou um vídeo racista em outubro do ano passado foi novamente expulso da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Após registrar imagens em que dizia que a "negraiada vai morrer", durante o período das Eleições 2018, o aluno Pedro Baleotti foi expulso da instituição e também demitido do escritório de advocacia onde trabalhava.

A Justiça, no entando, havia revogado sua e xpulsão  em janeiro deste ano, afirmando que a faculdade não cumpriu as normas para a formação do Conselho Universitário. Agora, após disputa judicial, o estudante foi novamente expulso do Mackenzie .

Nesta sexta-feira (24), o coletivo negro da universidade, Afromack , divulgou uma nota comemorando a decisão. “Após mais de seis meses de luta, buscando todas as soluções possíveis, finalmente podemos ver o direito à vida ser colocado como uma prioridade, de acordo com o que assegura a Declaração Universal dos Direitos Humanos”, diz a nota publicada na página do Facebook.

Eles também ressaltam que "o ex-aluno ameaçou de forma clara e direta a vida de toda a “ negraiada ” (sic), enquanto portava uma arma de fogo; e desta forma além de cometer mais de um crime previsto em lei, também feriu o regimento interno da instituição."

Confira a nota na íntegra: 




Leia também: Jair Bolsonaro é hostilizado durante visita à Universidade Mackenzie

No vídeo, o estudante aparece dentro do carro, indo votar com uma camiseta do presidente Jair Bolsonaro  , e afirma: “Indo votar ao som de Zezé, armado com faca, pistola, o diabo, louco para ver um vadio, vagabundo com camiseta vermelha e já matar logo. Tá vendo essa negraiada? Vai morrer! Vai morrer! É capitão, caralho”, exclama.