Tamanho do texto

De acordo com portaria, publicada no Diário Oficial desta quarta, os agentes permanecerão na penitenciária federal em Brasília pelo menos até setembro

Ministro Sérgio Moro
Wilson Dias/Agência Brasil
Em portaria divulgada nesta quarta, ministro Sérgio Moro prorrogou a presença da Força Nacional em presídios do DF e AM

A edição desta quarta-feira (8) do Diário Oficial da União trouxe uma portaria assinada pelo mnistro da Justiça, Sérgio Moro, que estende o tempo de atuação da Força Nacional em dois presídios do país, um no Distrito Federal, que abriga integrantes da "alta cúpula" da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) desde fevereiro, e um do Amazonas.

Leia também: Bolsonaro estende direito a porte de armas para políticos e caminhoneiros

Segundo o texto de Moro , a penitenciária federal de Brasília contará com a presença dos agentes pelo menos até o mês de setembro. Apesar de não especificar o efetivo total que fará parte da ação, descreve que a Força Nacional atuará em ações de policiamento de guarda e vigilância no perímetro interno.

O ministro revelou que o próprio Departamento Penitenciário Nacional ( Depen ) fez a solicitação da prorrogação, apontando que a ação da Força Nacional de Segurança Pública seria vital para o apoio dos trabalhos da equipe do Sistema Penitenciário Federal.

Desde o último mês de março, o local abriga Marcos Herbas Willians Camacho, o Marcola, chefe da facção, e seu irmão Alejandro Juvenas Herbas Camacho Júnior, o Marcolinha. As mudanças fazem parte do protocolo de segurança adotado com detentos de alta periculosidade, o que faz com que eles entrem em um sistema de "alternância de abrigos".

Já a presença da Força Nacional em Manaus acontece após um pedido do próprio governador do estado, Wilson Lima (PSC). Lá, os agentes atuarão até junho no policiamento ostensivo no perímetro externo das penitenciárias.

Leia também: 59% dos brasileiros concordam que é preciso reformar Previdência, diz Ibope

Em ambos os casos, uma nova prorrogação não está descartada e pode ser concedida após o período definido por Moro  na portaria divulgada nesta quarta-feira.