Tamanho do texto

Nível de segurança de uma barragem da mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, saiu de 2 para 3; sirenes foram acionadas e moradores evacuados

A barragem da Vale em Barão de Cocais é do mesmo tipo da de Brumadinho, cujo rompimento matou 210 pessoas
Divulgação/Prefeitura de Brumadinho
A barragem da Vale em Barão de Cocais é do mesmo tipo da de Brumadinho, cujo rompimento matou 210 pessoas

Uma barragem da Vale localizada em Barão de Cocais, Minas Gerais, entrou em alerta máximo para risco de rompimento na noite dessa sexta-feira (22). Pela segunda vez em pouco mais de um mês, as sirenes nas proximidades da barragem Sul Superior, da mina de Gongo Soco, foram acionadas e moradores foram retirados de suas casas.

O nível de segurança da Sul Superior estava em 2, mas foi alterado para 3, que significa "rompimento ou risco eminente de romper". A orientação para a mudança partiu na Agência Nacional de Mineração (ANM). Essa barragem da Vale em Barão de Cocais é do mesmo tipo da de Brumadinho, que rompeu há quase dois meses e deixou mais de 200 mortos .

Em nota, a mineradora informou que a medida é preventiva e foi tomada após um auditor independente ter relatado a "condição crítica de estabilidade da barragem". A Vale ainda lembrou que a Sul Superior é uma das dez barragens a montante já desativadas pela empresa e "faz parte do plano de descaracterização" anunciado anteriormente.

Leia também: Sobrevivente de tragédia em Mariana é encontrado entre vítimas de Brumadinho

Em outro posicionamento, a empresa confirmou que, além das sirenes em Barão de Cocais, também foi disparado o sistema de alerta da barragem Sul de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo. Os moradores da região chegaram a ser evacuados, mas, segundo a Vale, o alerta se tratou de um "erro técnico" e "não há situação de emergência nessa localidade". 

Segunda evacuação

A área mais próxima à barragem em Barão de Cocais foi evacuada em 8 de fevereiro, após sirenes serem acionadas
Divulgação/Corpo de Bombeiros de Minas Gerais
A área mais próxima à barragem em Barão de Cocais foi evacuada em 8 de fevereiro, após sirenes serem acionadas

A área mais próxima à barragem já foi evacuada no dia 8 de fevereiro, após sirenes serem acionadas pela primeira vez. Todos os moradores das comunidades de Piteiras, Socorro e Tabuleiro, localizadas na zona de autossalvamento, foram retirados de suas casas. As 452 pessoas foram levadas para hotéis em cidades da região.

Na noite de ontem, em pronunciamento, o prefeito de Barão de Cocais , Décio Geraldo do Santos (PV) assegurou que os moradores que continuam na área secundária "não têm motivo para entrar em pânico". "Não houve rompimento da barragem, mas todos precisam ficar alertas", esclareceu.

Leia também: Mesmo com tragédia de Brumadinho, Vale deve lucrar em 2019

Por precaução, a Defesa Civil e a Tropa de Choque foram deslocadas para Barão de Cocais para ajudar na evacuação, se necessária, daqueles que moram na chamada área 2, onde há cerca de 3 mil casas. Neste fim de semana, segundo a Defesa Civil, será feito um treinamento de evacuação com os moradores.