undefined
Reprodução
Rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Vale deixou centenas de atingidos

O presidente Jair Bolsonaro assinou uma medida provisória que libera saques de até R$ 600 aos atingidos pelo rompimento da barragem em Brumadinho. O valor é referente ao auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família, do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e da Renda Mensal Vitalícia.

Leia também: Senado instaura hoje CPI para apurar causas da tragédia de Brumadinho

Os saques podem ser feitos em até 180 dias após a data da disponibilização do crédito. A Medida Provisória 875 que beneficia as vítimas do rompimento da barragem foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (13).

Poderão sacar o auxílio os moradores que tinham os benefícios ativos em janeiro de 2019. A medida atende os atingidos pela tragédia do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), o que inclui familiares de mortos e desaparecidos, pessoas que tiveram que deixar suas casas e outras pessoas que foram afetadas pela tragédia.

De acordo com o texto da medida provisória, o auxílio de R$ 600 será pago de uma só vez. O pagamento será feito pela Caixa Econômica Federal. Para beneficiários do BPC e da Renda Mensal Vitalícia, o dinheiro será liberado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

No fim de fevereiro a Vale , empresa responsável pela barragem que se rompeu,  fechou um acordo com a Justiça e representantes dos atingidos para o pagamento de R$ 1 mil por adulto e R$ 300 por adolescente ou criança de Brumadinho. O acordo é válido para os moradores da região por um ano.

Além disso, a empresa também está pagando um valor de R$ 100 mil para parentes de vítimas fatais e R$ 50 mil para quem teve suas casas atingidas pela lama. Na segunda-feira (11), duas mulheres  foram presas por estelionato após se passarem por vítimas da tragédia com o objetivo de receber as indenizações.

O rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), aconteceu há pouco mais de um mês, no dia 25 de janeiro. De acordo com a Defesa Civil do Estado de Minas Gerais, 197 mortes já foram confirmadas e outras 111 pessoas continuam desaparecidas. As buscas pelas vítimas do rompimento da barragem da Vale continuam incessantes, de acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários