Tamanho do texto

Tomackeves dirigia o caminhão que se chocou com o helicóptero que levava jornalista; ele teve ferimentos leves, mas Boechat e seu piloto não resistiram

Helicóptero que transportava Ricardo Boechat de Campinas a São Paulo atingiu caminhão na rodovia Anhanguera
Reprodução/TV Globo
Helicóptero que transportava Ricardo Boechat de Campinas a São Paulo atingiu caminhão na rodovia Anhanguera

O motorista do caminhão envolvido no acidente que resultou na morte do jornalista Ricardo Boechat, João Aldroaldo Tomackeves, de 52 anos, prestou um depoimento à polícia e falou com a imprensa, na noite desta segunda-feira (11). Segundo ele, o helicóptero que levava o apresentador e o piloto Ronaldo Quattrucci – também morto do acidente – não se chocou de frente com o caminhão, mas caiu sobre o veículo, como se fosse uma pedra.

Leia também: Jornalista Ricardo Boechat morre em acidente com helicóptero em São Paulo

"Não vi nada. Passei e aquilo caiu assim, do nada. Foi a mesma coisa que caísse uma pedra do céu em cima da cabine", contou Tomackeves, motorista de caminhão há 31 anos, que nunca tinha passado por um acidente nas estradas brasileiras, mas que foi envolvido no acidente que matou Boechat .

"O helicóptero veio de cima para baixo, não veio de frente para mim. Não tinha nada na minha frente, a rodovia estava ‘limpa’. Aí do nada, aquele estrondo e sobe metade da cabine em minha frente", disse o caminhoneiro .

Leia também: Helicóptero que levava Boechat estava em situação regular, afirma Anac

O acidente aconteceu na tarde de ontem, na Rodovia Anhanguera, em São Paulo. Segundo o motorista, ele iria carregar o caminhão em Cajamar, cidade localizada na Região Metropolitana de São Paulo, e depois seguiria viagem para o Sul do País.

"Tentei parar o caminhão. Nem eu sabia o que estava acontecendo. Alguém gritou que era um helicóptero. Disse: 'não pode estar acontecendo de um helicóptero cair em cima de um caminhão'. Mas infelizmente foi isso", lembra o motorista. Morador de Caxias do Sul, no Rio Grande de Sul, Tomackeves teve ferimentos leves, mas sentiu-se mal e depois foi levado para um hospital da região, de onde teve alta pela noite. 

Leia também: Bolsonaro lamenta morte de Ricardo Boechat e se solidariza com a família

Nesta terça-feira, Boechat está sendo velado no Museu da Imagem e do Som, no bairro dos Jardins, região nobre de São Paulo. O piloto Ronaldo Quattrucci também está sendo velado, em um cemitério localizado na zona oeste da capital paulista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas