Tamanho do texto

Chuvas provocaram deslizamentos de terra, logo pela manhã desta segunda-feira; temporal foi mais forte no Leblon, na Rocinha e no Jardim Botânico

A avenida Borges de Medeiros, na Lagoa, no Rio de Janeiro, foi fechada às 7h desta segunda-feira, por alagamento
Reprodução/COR
A avenida Borges de Medeiros, na Lagoa, no Rio de Janeiro, foi fechada às 7h desta segunda-feira, por alagamento

As fortes chuvas que atingem o Rio de Janeiro desde a noite deste domingo até a manhã desta segunda-feira (26) castigaram a capital fluminense, que entrou em estágio de atenção.De acordo com o Centro de Operações da prefeitura, a cidade entrou em atenção às 23h40 de ontem, após registros de deslizamentos de terra e de alagamentos. 

Leia também: Sobe para dez o número de mortos em deslizamento em morro de Niterói, no Rio

Hoje, já pelo início da manhã, riscos de deslizamentos de terra provocaram o acionamento de sirenes de alerta em três comunidades da região de Jacarepaguá, e em duas da zona sul do Rio de Janeiro : Chapéu Mangueira e Babilônia e Cabritos.

Pontos de alagamento foram registrados em várias regiões da cidade. A chuva foi mais forte na região do Leblon, Rocinha e Jardim Botânico. Na Rocinha, chegou a chover 32 milímetros das 6h30 às 7h30 de hoje.

Na Barra da Tijuca, um jacaré foi flagrado na rua e quase foi atropelado, em plena Avenida das Américas. Ele foi resgatado perto das 2h desta segunda, depois de ser esconder sobre veículos.

Leia também: Tragédia de Mariana faz três anos, mas julgamento está longe de ser concluído

O bairro da Lagoa é o mais prejudicado pelo temporal do Rio no trânsito, e a prefeitura recomenda, inclusive, que os moradores evitem a região. Em Niterói, um barranco chegou a desabar sobre um ônibus.

Nesta manhã, o trânsito em toda a capital fluminense estava acima do comum, numa situação crítica em alguns trechos. Por exemplo, às 9h de hoje, os motoristas estavam levando uma hora para cruzar a ponte Rio-Niterói, no sentido Rio, um trajeto que normalmente é feito em até 13 minutos.

Leia também: Sobe para quatro o número de mortos em temporal devastador no Rio

A chuva forte também afetou os aeroportos do Rio de Janeiro , neste início de semana. O Aeroporto Tom Jobim, por exemplo, está aberto, e tem decolagens feitas no visual. O Aeroporto Santos Dumont, por sua vez, funciona apenas com o auxílio de instrumentos de decolagem e de aterrisagem, dado que não há visibilidade.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.