Tamanho do texto

Na manhã desta sexta, a polícia encontrou um corpo na região, mas era de um homem; agente está desaparecida desde a noite da última quarta-feira

PM desaparecida foi vista pela última vez em Paraisópolis, uma comunidade da zona sul da capital paulista
Reprodução/PM-SP
PM desaparecida foi vista pela última vez em Paraisópolis, uma comunidade da zona sul da capital paulista

A Polícia Militar de São Paulo (PM-SP) encontrou, na manhã desta sexta-feira (3), um corpo enterrado em uma cova rasa na região de Paraisópolis, uma comunidade na zona sul da capital paulista. O corpo foi encontrado durante uma operação policial de buscas por uma PM desaparecida , que sumiu dentro da favela, na última quarta-feira (1º). 

Leia também: Homem é condenado a pagar R$ 10 mil de dano moral a Soldado da Polícia Militar

Porém, segundo os técnicos da Polícia Científica, que estão no local das buscas, este corpo não é da PM desaparecida  Juliane dos Santos Duarte, de 27 anos, mas de um homem. Além disso, segundo a apuração inicial, o corpo encontrado teria sido enterrado muito antes do desaparecimento da agente policial, e já estava em decomposição. 

"O corpo trata-se de uma pessoa do sexo masculino, aparentemente de 40 anos de idade", informou o sargento do Corpo de Bombeiros Henrique, à TV Record .

De acordo com testemunhas ouvidas pela polícia nesta fase de investigação, a agente Duarte tinha ido com seus amigos, à paisana, a um bar na comunidade de Paraisópolis na noite de quarta. Na ocasião, seu celular foi furtado, o que a fez revelar sua profissão.

Leia também: ROTA apreende arsenal de combate com duas criminosas e golpeia crime organizado

Ela falou em voz alta que era policial e que exigia que o celular fosse devolvido. Porém, a partir desse momento, segundo uma amiga que estava com ela, quatro homens encapuzados se aproximaram e perguntaram ao grupo quem era a policial. Logo depois, a PM desapareceu .

A policial atuava na 2ª Companhia do 3º Batalhão Metropolitano, responsável pelo patrulhamento em parte do Jabaquara, na zona sul.

Em entrevista à TV Record , televisionada na noite desta quinta-feira (2), a mãe da policial militar desaparecida, identificada como dona Cleusa, informou que o celular de sua filha não está desligado. "Hoje mesmo eu liguei e chamou", disse.

Leia também: Polícia Militar Ambiental apreende balão que caiu no mar do litoral de SP

"Meu coração está muito pequenininho, mas eu tenho a esperança de que quem está com ela não fez nenhum mal para com ela", afirmou. A PM desaparecida está sendo procurada desde ontem em toda a região de Paraisópolis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.