Ataques a ônibus em Fortaleza se repetiram por dois dias
Reprodução
Ataques a ônibus em Fortaleza se repetiram por dois dias

A Polícia Civil do Ceará identificou e prendeu três homens suspeitos de participarem dos ataques a ônibus e prédios públicos e coletivos em Fortaleza neste sábado (28). As ocorrências aconteceram no mesmo dia da prisão e também na sexta-feira (27).

Leia também: Celulares de membros do PCC revelam "genocídio no País", diz Polícia Civil

Entre os suspeitos, um pode ser o articulador dos ataques a ônibus registrados na Capital e na Região Metropolitana. Gean Patrick Aguiar Lima tem 19 anos e possui passagem pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo e organização criminosa.

Ele foi capturado com um galão de gasolina quando estava no Bairro Vila Ellery, em Fortaleza .

Outro investigado por envolvimento no crime é Pedro Henrique Mesquita de Sousa, de 27 anos. Ele foi preso em sua casa, no bairro Cristo Redentor. Também há registros de passagem pela Polícia por tráfico de drogas.

Pedro Henrique estava cumpria pena em regime semi-aberto e, em sua residência, foi apreendida uma arma de fogo calibre 12 de fabricação artesanal.

Oderison dos Anjos Oliveira, de 19 anos, também foi preso quando infringia o perímetro permitido pelo uso de tornozeleira eletrônica, que já usava por responder ao crime de roubo, no bairro Sapiranga.

Em outra ação policial, um casal foi encaminhado ao 7º Distrito Policial, sob suspeita de também participar dos atos criminosos, no qual pelo menos oito ônibus foram incendiados. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram apreendidos com eles um celular e uma motocicleta. O casal já foi liberado, mas ambos continuarão sob investigação.

Você viu?

Saldo de ataques

  • Onze ônibus foram queimados em Fortaleza;
  • Um ônibus foi destruído em Horizonte, na Grande Fortaleza;
  • Uma agência bancária foi incendiada na Avenida Washignton Soares;
  • O transporte público nos bairros de Fortaleza Álvaro Weyne e Jacarecanga foram atacados;
  • Disparos de arma de fogo ocorreram contra a agência dos Correios no Bairro Jacarecanga; no prédio do Detran do Bairro São Gerardo; e na sede da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã, no Bairro Vila União;
  • Coquetéis molotov foram arremessados na Regional IV, da Prefeitura de Fortaleza, no Bairro Serrinha;
  • Coquetel molotov foi arremessado contra uma agência bancária, no Carlito Pamplona;
  • Mais de 150 motocicletas foram incendiadas no pátio do Detran em Fortaleza.

Leia também: Homem ligado à facção criminosa é assassinado a tiros de fuzil em São Paulo

Ataques a ônibus devem diminuir, diz secretário

Onze ônibus foram destruídos em ataques incendiários em dois dias em Fortaleza
Reprodução/TV Verdes Mares
Onze ônibus foram destruídos em ataques incendiários em dois dias em Fortaleza

No sábado, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, disse não haver, até o momento, registro de feridos por conta dos atos. Segundo ele, a tendência é que os ataques diminuam e a situação se normalize. “As coisas estão mais tranquilas de ontem para hoje”.

A fim de garantir o sucesso das investigações, o secretário evitou detalhar as hipóteses que estão sendo investigadas, relativas às responsabilidades e motivações para os ataques.

Por meio de nota, a secretaria informou que, durante as diligências de sexta-feira (27), dois homens haviam sido conduzidos à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Como não foi caracterizada situação de flagrante, eles foram liberados.

A última ação criminosa registrada ocorreu hoje à tarde, quando um ônibus foi incendiado no bairro Passaré. A situação foi controlada após a chegada do Corpo de Bombeiros. Mais cedo, o  Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Sindiônibus) do Ceará informou ter retirado de circulação as linhas contra as quais foram feitos ataques ontem.

Leia também: Justiça do Rio condena Rogério 157 a 32 anos de prisão por três crimes

Além dos ataques a ônibus , também houve registros de artefatos explosivos jogados contra agências dos Correios, bancos privados e um prédio da prefeitura de Fortaleza.

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários