Morte no Beach Park aconteceu na atração Vainkará, aberta no fim de semana; testemunha disse que faltou fiscalização
Reprodução
Morte no Beach Park aconteceu na atração Vainkará, aberta no fim de semana; testemunha disse que faltou fiscalização

Um homem morreu, na tarde desta segunda-feira (16), durante um acidente com um brinquedo do parque aquático Beach Park, na região de Fortaleza, no Ceará. A morte no Beach Park ainda está sendo investigada, mas uma testemunha aponta que os funcionários do parque foram displicentes em relação à segurança do brinquedo – que havia sido inaugurado no último final de semana.

Leia também: Mãe morre e filha fica ferida após caírem de 10 metros em brinquedo de parque

A vítima da morte no Beach Park é o jornalista Ricardo José Hilário Silva, 43 anos, que trabalhava na Rádio Nova Brasil FM, de Sorocaba. Ele apresentava o programa Nova Manhã, que ia ao ar das 6h às 8h e aproveitava as férias com a família no Nordeste. Ricardo deixa esposa e uma filha.

Enquanto se divertia no brinquedo, o jornalista bateu a cabeça e acabou sofrendo um traumatismo craniano, que resultou na sua morte. De acordo com uma testemunha, porém, esse trauma ocorreu por uma falha de segurança no brinquedo.

Matheus Sena contou, em entrevista à rede Verdes Mares , afiliada da TV Globo , que descia no toboágua ao lado de sua namorada, Michele Laverde, de Ricardo e de um outro turista. Segundo ele, uma placa de alerta no local indicava que o peso máximo das quatro pessoas somadas na boia não poderia ultrapassar 320 quilos – mas que ninguém fez a fiscalização do uso do brinquedo.

Segundo ele, o grupo do qual ele e Ricardo faziam parte tinha pessoa de grande porte físico e, na hora de descer na boia, nenhum funcionário do Beach Park os avisou sobre os riscos decorrentes da brincadeira com mais quilos que o permitido.

Leia também: Cinco pessoas morrem eletrocutadas em parque aquático na Turquia

Você viu?

"Parecia que estava tudo ok, mas tinham que ter alertado sobre o risco", contou, afirmando que ninguém fez a fiscalização dos grupos que entravam nas boias.

Em nota, o parque informou que, em respeito ao luto dos parentes de Ricardo, não funcionará nesta terça-feira (17). Além disso, a atração Vainkará , que provocou o acidente, vai reabrir apenas depois da apuração pericial.

As causas do acidente ainda estão sendo investigadas, segundo o próprio parque aquático, pelas autoridades competentes.

Reação à morte no Beach Park

Apesar da testemunha ter criticado a atuação dos funcionários do parque antes do acidente, o Beach Park informou, ainda em nota, que a sua equipe de segurança aquática fez o atendimento de forma imediata. Além disso, o parque lamentou o ocorrido e afirmou que "está dando todo o apoio, suporte e atenção para a família" da vítima.

"O Beach Park reforça seu compromisso prioritário com a segurança e a integridade de seus visitantes e por isso realiza treinamentos com a equipe de segurança e de primeiros socorros diariamente", informou o parque.

Segundo Matheus, que não sofreu ferimentos, o atendimento prestado pelo parque após o acidente também deixou a desejar. Isso porque, embora ele e a quarta pessoa que estava no brinquedo não tivessem se machucado, sua namorada sofreu forte impacto no peito e no braço, tendo dificuldades para respirar, e não foi socorrida. 

Leia também: Casal é expulso de parque por ser considerado 'velho demais' para estar no local

"Eles deram um suporte primeiro para o Ricardo, que estava mais grave, mas nós que tínhamos condições de andar fomos humilhados, sem atendimento. A família dele, que desceu logo em seguida, ficou mais de 30 minutos sem notícias", contou Matheus, sobre a morte no Beach Park .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários