Tamanho do texto

Ações se desenvolvem na Rocinha, Vidigal, Chácara do Céu e Parque da Cidade, com veículos blindados, helicópteros e equipamentos de engenharia

Moradores da Rocinha relataram tiroteios na comunidade durante a operação do Gabinete de Intervenção Federal
Fernanda Frazão/Agência Brasil
Moradores da Rocinha relataram tiroteios na comunidade durante a operação do Gabinete de Intervenção Federal

As forças de segurança vinculadas ao Gabinete de Intervenção Federal realizam neste sábado (9) uma operação integrada em quatro comunidades da zona sul do Rio de Janeiro. Mais de mil agentes foram mobilizados. As ações se desenvolvem na Rocinha , Vidigal, Chácara do Céu e Parque da Cidade. Há também emprego de veículos blindados, helicópteros e equipamentos pesados de engenharia. Até o momento, dezesseis pessoas foram presas.

Leia também: Tribunal derruba liminar que suspende tabela de preços de frete no RN

De acordo com o Comando Conjunto das Forças Armadas, o trabalho  no Rio envolve cerco, estabilização dinâmica da área e remoção de barricadas erguidas pelo tráfico. Além disso, revistas seletivas de pessoas e veículos também são realizadas. Mais de 120 mil pessoas moram nas áreas abrangidas pelas ações.

Nas redes sociais, diversos moradores da Rocinha deram notícia de troca de tiros nas primeiras horas da manhã. "Como é que dorme na Rocinha nesse sábado de tiroteio ?", escreveu um internauta no Twitter por volta de 8h.

A Polícia Militar participa da operação com bloqueios de possíveis rotas de fuga de criminosos e a Polícia Civil faz a checagem de antecedentes criminais e cumpre mandados judiciais. A Polícia Federal também está presente nas áreas das comunidades.

Leia também: Mega-Sena pode pagar até R$ 9,5 milhões no sorteio deste sábado 

De acordo com o Comando Conjunto, algumas vias na região poderiam ser interditadas. A autoestrada Lagoa-Barra chegou a ficar interditada devido a ação, mas o Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que a via já tinha sido totalmente liberada nos dois sentidos às 7h30. Na Avenida Niemeyer, que liga o Leblon a São Conrado, há bastante reforço no policiamento.  

Buscas de naufrágio

Além das operações nas comunidades, o Rio de Janeiro também teve, na manhã deste sábado, a retomada das buscas da Marinha por seis pessoas desaparecidas no naufrágio que envolveu duas embarcações. O acidente aconteceu na Baía de Sepetida, na madrugada na última sexta-feira (8).

Leia também: Confrontos na Faixa de Gaza deixam três palestinos mortos e 618 feridos

Até o momento, foram resgatados nove sobreviventes e seis corpos. Somente uma das embarcações foi encontrada pelos responsáveis pelo resgate. A Marinha vai utilizar equipamentos sonares para localizar a segunda embarcação naufragada no Rio de Janeiro.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.