Tamanho do texto

Embarcações naufragaram durante a madrugada, na Baía de Sepetiba, no litoral sul do estado fluminense; a Polícia Civil já fala em uma quinta morte

Duas embarcações naufragaram entre a noite de ontem (7) e a madrugada de hoje (8) na Baía de Sepetiba
Reprodução/Vozerio.org
Duas embarcações naufragaram entre a noite de ontem (7) e a madrugada de hoje (8) na Baía de Sepetiba

Pelo menos seis pessoas morreram após o naufrágio de duas embarcações entre a noite dessa quinta-feira (7) e a madrugada desta sexta (8) na Baía de Sepetiba, em frente ao Porto de Itaguaí, no litoral sul do Rio de Janeiro . Segundo informações da 50ª DP (Itaguaí), há uma sétima vítima, que teria morrido no hospital, porém o Corpo de Bombeiros não confirmou a informação. 

Leia também: Mãe de PM sofre infarto e morre ao saber do assassinato do filho no Rio

De acordo com os Bombeiros e a Marinha, tinha sido confirmado o resgate de oito sobreviventes até as 9h da manhã. Porém, uma delas pode ter falecido no hospital.  Especificamente, dos sobreviventes, seis foram resgatados das águas da Baía de Sepetiba pelo Corpo de Bombeiros e dois conseguiram nadar até a costa.

Ainda segundo a Marinha Brasileira, acredita-se que ainda haja pelo menos dez vítimas desaparecidas. Há informações de que 22 pessoas estavam no barco – dez desaparecidos, oito resgatados e quatro mortos. O acidente aconteceu às 0h20 desta sexta-feira. 

Vítimas do naufrágio eram pescadores

Em nota, a secretaria da Associação de Pescadores e Lavradores da Ilha da Madeira (Aplim) afirmou que as vítimas deste naufrágio eram pescadores que moravam na região e tinham saído para o mar aberto, como castumam fazer diariamente.

Leia também: Onda de ataques em Minas chega ao 5º dia e já acumula quase 100 casos

Ao jornal O Globo , o presidente da Aplim, Sergio Hiroshi Okasaki, explicou que as condições do tempo implicaram no acidente.

"É gente da região aqui. A gente sabe que passou um vento forte, trovoada. No lugar em que centraliza o vento, os barcos estavam nessa direção e vieram a fundo", explicou Okasaki.

"Do barco que estava mais próximo, três sobreviventes vieram nadando, uma embarcação recolheu esses e deu suporte. Acionamos vários barcos para adiantar uma busca", frisou o presidente da associação.

Ainda na manhã desta sexta-feira, os trabalhos de resgate continuam no local. Participam do resgate bombeiros do Grupamento Marítimo de Sepetiba , e dos quartéis de Angra dos Reis e do grupo de Busca e Salvamento da Barra da Tijuca, além de militares da Capitania dos Portos.

Leia também: Recém-nascida sobrevive após ser enterrada viva pela bisavó no Mato Grosso; veja

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.