Tamanho do texto

Para governo de Minas Gerais, ataques a ônibus, agências bancárias e prédios públicos partiram de facção criminosa que atua desde os presídios

Minas Gerais vive dias de ataques a ônibus e prédios públicos em 37 municípios
Divulgação/Helder Almeida
Minas Gerais vive dias de ataques a ônibus e prédios públicos em 37 municípios

A Polícia Militar de Minas Gerais já contabiliza 89 ataques a veículos no estado desde domingo (3). No total, 64 ônibus foram incendiados em 37 cidades mineiras. Os episódios mais recentes tomaram lugar na noite de quinta-feira (7) no bairro Maria Gorete, em Belo Horizonte, às 23h13, e em Passa Quatro, no sul de Minas, às 19h30. Desde quarta-feira (6), 29 veículos foram incendiados. 

Leia também: Metade das vítimas de estupro têm até 13 anos, diz Atlas da Violência

Até quinta, 82 pessoas já haviam sido presas e 22 adolescentes, apreendidos, por suspeitas de envolvimento com os ataques . A polícia também apreendeu duas armas de fogo e materiais incendiários.

Para o governo de Minas Gerais , os incêndios são coordenados pelo Primeiro Comando da Capital, o PCC, facção criminosa que atua desde os presídios. Fernando Pimentel (PT), governador do estado, afirmou que a motivação do grupo é a insatisfação com o sistema prisional.

A Secretaria de Administração Prisional de Minas Gerais afirmou que as forças de segurança estão trabalhando “diuturnamente”, com a colaboração da Polícia Federal, além da própria administração prisional, de forças estaduais, da Secretarias de Segurança Pública e do Gabinete Militar do Governador.

Policiais militares estão à paisana em ônibus e pontos de ônibus para conter ações e identificar suspeitos. Além disso, o policiamento foi reforçado em cidades que já passaram por ações de segurança ou que tiveram demandas oriundas de informação da inteligência do sistema de segurança.

Leia também: Taxa de homicídios do Brasil corresponde a 30 vezes a da Europa

Socorro governamental

Após se reunir com parlamentares mineiros, o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que irá autorizar a liberação de R$ 50 milhões para o combate à violência em Minas Gerais .

De acordo com o ministro, os primeiros R$ 15 milhões serão liberados imediatamente para as ações emergenciais. “Nós assumimos o compromisso de levar isso adiante, fazer com que aconteça”, afirmou o ministro. Ele acrescentou que os recursos são provenientes de emendas parlamentares de bancadas e já estavam previstos no Orçamento deste ano.

A série de ataques   começou no último domingo (3) e tem atingido cidades como Itajubá, Luz, Passos, Tupaciguara, Uberaba, Uberlândia e Varginha. 

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Ônibus são apedrejados em Manaus após 7 dias de greve

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.