Tamanho do texto

Segundo Bruno Covas, a partir de quinta-feira (31), não haverá necessidade de ter um situação de emergência, pois a cidade está voltando a normalidade

Covas afirmou que estado de emergência deve acabar nesta quinta-feira (31)
Reprodução/TV Globo
Covas afirmou que estado de emergência deve acabar nesta quinta-feira (31)

Diante do décimo dia de greve dos caminhoneiros, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou na manhã desta quarta-feira (30) que deve suspender o estado de emergência na cidade. Segundo ele, a decisão será publicada no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (31).

Leia também: Petroleiros fazem greve e Exército dispersa atos remanescentes de caminhoneiros

"Não há mais necessidade da gente ter uma situação de emergência na cidade de São Paulo. A cidade vai voltando a normalidade", declarou. A cidade ficou em estado de emergência por seis dias.

No entanto, nesta sexta-feira (1º), será decretado ponto facultativo no município. De acordo com Covas, a decisão é para que a Prefeitura possa se organizar para os dias seguintes.

"Para que a Prefeitura possa colaborar com a volta da normalidade, para que a gente possa aproveitar a sexta-feira para reabastecer a merenda nas escolas, para reorganizar a Prefeitura como um todo nós vamos decretar ponto facultativo", afirmou.

"A situação de hoje, quarta-feira, já é melhor do que a situação que a gente tinha na quinta-feira passada antes da decretação da emergência", completou.

Como fica o transporte?

A Prefeitura informou que os ônibus da cidade circulam com 71% da frota. “É nesse nível que deve se manter a operação durante o dia”, disse Covas. O prefeito ainda ressaltou que a circulação da frota também simboliza a diminuição da demanda de passageiros. Na última terça-feira (29), foram transportados 6,8 milhões de passageiros, enquanto o normal são 9 milhões diariamente.

Em relação ao combustível, há o bastante estocado para abastecer os ônibus até sexta-feira (2). No entanto, uma nova aquisição será feita pela pasta para que os transportes tenham combustível suficiente até segunda-feira (5) pela manhã.

Leia também: Governador ouve nova reivindicação e diz que SP está "voltando à normalidade"

As aulas voltarão normalmente?

Segundo os dados anunciados pela prefeitura, no decorrer da semana os números avançaram e a situação deve ser normalizada em breve. Na segunda-feira passada (28), 88% dos professores compareceram às escolas e na terça (29, o índice aumentou para 91%. Em relação a presença dos alunos, a taxa passou de 46% para 51% no mesmo período.

"A nossa expectativa é que até sexta-feira da semana que vem a gente possa normalizar o fornecimento de produtos perecíveis na merenda escolar". Segundo Covas, nas 3.500 unidades de ensino da cidade está garantida a merenda seca.

Outras áreas

Já na Saúde, as cirurgias eletivas que haviam sido suspensas na semana passada serão retomadas nesta quarta-feira (30). De acordo com balanço, 96% dos funcionários foram trabalhar nesta terça.

A situação também foi normalizada no Serviço Funerário Municipal e no Ilume.

Leia também: CPTM, Metrô e ViaQuatro vão abrir mais cedo e fechar mais tarde devido à greve

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.