Tamanho do texto

Após nova reunião com caminhoneiros, França disse que acessos a refinarias estão sendo desbloqueados e que prefeito de São Paulo acatará novo pleito

Governador de São Paulo, Márcio França tem feito uma série de reuniões com lideranças de caminhoneiros
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Governador de São Paulo, Márcio França tem feito uma série de reuniões com lideranças de caminhoneiros

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), garantiu nesta terça-feira (29) que o estado está "caminhando de volta à normalidade", com o  desbloqueio das vias de acesso às refinarias paulistas (Capuava, Presidente Bernardes, Paulínia e Henrique Lage) e a retomada do abastecimento nos postos de combustíveis. As declarações foram dadas após nova rodada de conversas com lideranças do movimento de caminhoneiros, que mantiveram greve ao longo dos últimos nove dias.

Este já é o quarto dia seguido de reuniões entre o governador e representantes dos caminhoneiros em São Paulo . O grupo apresentou nesta tarde uma nova reivindicação: a inclusão dos caminhões que transportam combustível na lista daqueles que têm livre circulação na capital paulista. França garantiu que conversou com o prefeito Bruno Covas (PSDB) por telefone e ouvir a promessa de que seria assinado ainda hoje um decreto atendendo a esse pedido.

O governador disse ainda que a equipe do presidente Michel Temer se comprometeu a editar uma medida provisória (MP) para a fixação de uma tabela para o frete em todo o País.

“Todos os caminhoneiros aqui presentes acordaram que, se o presidente fixar e publicar as novas regras, será permitida a desobstrução das vias em outros locais do País”, disse o governador.

No território paulista, ainda há cinco pontos de interdição na Rodovia Régis Bittencourt, que liga a capital a Curitiba (PR). De acordo com o Palácio dos Bandeirantes, essa mobilização ainda ocorre porque as lideranças desses movimentos ainda não responderam aos representantes que participaram da reunião com o governador.

Negociações em São Paulo

No fim de semana, o governo paulista anunciou um acordo inicial com os caminhoneiros prevendo a suspensão da cobrança de tarifa por eixo suspenso de caminhões nas praças de pedágio do Rodoanel. Essa parte do trato posteriormente foi levada pelo ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) ao Palácio do Planalto, onde o governo ampliou a medida para nível nacional.

O acordo firmado em São Paulo também inclui o compromisso do governo em não cobrar o pagamento de multas aplicadas aos grevistas em razão dos bloqueios realizados ao longo da paralisação da última semana.

Leia também: Governo vê fim da greve avançar e defende "emprego da força" contra infiltrados

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.