Tamanho do texto

Restos mortais encontrados nos escombros do prédio foram confrontados o com material genético colhido de parentes; ainda há dois desaparecidos

Bombeiros retiram entulho nas buscas por desaparecidos em desabamento de um prédio no centro de São Paulo
Rovena Rosa/Agência Brasil - 1.5.18
Bombeiros retiram entulho nas buscas por desaparecidos em desabamento de um prédio no centro de São Paulo

O Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo identificou mais três desaparecidos no desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paissandu, na região central da capital paulista . De acordo com o órgão, que pertence à Polícia Técnico-Científica, foram confirmados nesta sexta-feira (18): Selma Almeida da Silva, 40; Walmir Sousa Santos, 47, e  Alexandre de Menezes, 40.

As identificações foram feitas com base em exames de laboratório e DNA, confrontando restos mortais encontrados nos escombros do prédio com material genético colhido de parentes das vítimas. Outros dois ainda estão desaparecidos : Eva Barbosa da Silveira e Gentil de Souza Rocha.

Adicionado a lista de pessoas desaparecidas na segunda-feira (14) , o advogado Alexandre de Menezes foi uma das vítimas identificadas nesta sexta-feira. Já os gêmeos Wendel e Werner da Silva Saldanha, de 10 anos, Francisco Lemos Dantas, 56 anos, e Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, 39 anos, foram encontrados pelos bombeiros em meio aos escombros, durante o período de buscas.

Fim das buscas

Após 13 dias de trabalho desde que o edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paissandu, centro de São Paulo, foi tomado por chamas após um curto-circuito e desabou, as buscas foram encerradas no último domingo (13).

Muito emocionados, os bombeiros que estavam presentes no local, representando os 1,7 mil homens que trabalharam nas buscas ao longo destas duas semanas, se abraçaram em um grande círculo e fizeram uma oração para agradecer o trabalho que conseguiram realizar. “Salve o corpo de bombeiros do Estado de São Paulo e todos que nos ajudaram nesta missão”, disseram no final.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, Max Mena, ainda há restos mortais a serem identificados, que foram encontrados ao longo dos últimos dias. Por outro lado, o governador de São Paulo, Márcio França, explica que não havia mais expectativa alguma com a sequência dos trabalhos, por isso as buscas foram encerradas.

Leia também: Armas semelhantes a usada em morte de Marielle sumiram da PM-RJ

 “O máximo que a gente pode fazer do ponto de vista de profundidade é essa. O resto [dos corpos] não deve ter mais existência, deve ter sumido junto com toda a situação, porque é muito calor e o corpo desaparece praticamente, é comum nesse tipo de tragédia”, afirmou França sobre os corpos que continuam desaparecidos .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.