Tamanho do texto

Ministro da Segurança Pública, Raul Jugmann avaliou que investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes caminham para um desfecho; vereador Marcelo Siciliano (PHS), miliciano, policial e ex-PM estão entre os suspeitos

Homenagem a Marielle Franco (PSOL) no Rio de Janeiro; vereadora foi assassinada no dia 14 de março
Marcelo Freixo/Twitter
Homenagem a Marielle Franco (PSOL) no Rio de Janeiro; vereadora foi assassinada no dia 14 de março

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann , disse nesta quinta-feira (10) que o vereador Marcelo Siciliano (PHS) , o ex-policial militar Orlando de Araújo, e dois PMs cujos nomes não foram revelados estão entre os investigados pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Leia também: Vereador está por trás da morte de Marielle Franco (PSOL), diz testemunha

Jungmann também afirmou que a investigação sobre o assassinato, ocorrida na noite de 14 março deste ano, “está chegando na sua etapa final”. “Eu acredito que, em breve, vamos ter resultados”, afirmou o ministro, após presidir a primeira reunião da Câmara Intersetorial de Prevenção Social e Segurança.

Perguntado sobre a participação do vereador Marcello Siciliano (PHS) e do ex-policial militar Orlando Oliveira de Araújo no assassinato de Marielle, após reportagem do jornal  O Globo  divulgar o depoimento de uma testemunha que acusa os dois de terem se reunido para planejar a morte da parlamentar, o ministro lembrou já ter mencionado que o crime apontava para a atuação de milícias.

“Não estou dizendo que são esses especificamente. Agora, tem dois níveis que tenho que observar: um é o do jornalismo e as suas informações que, evidentemente, têm que ser investigadas. E outro é a própria investigação em si sobre a qual a gente, por óbvios motivos, não tem aqui como ficar comentando. O que eu posso dizer é que estes e outros todos são investigados”, disse.

Leia também: Vereador contraria testemunha e diz que acusação por morte Marielle é "factoide"

Ontem (9), o vereador Marcello Siciliano negou participação no assassinato de Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.

Policiais envolvidos

De acordo com uma testemunha-chave ouvida pelos investigadores que apuram o assassinato da vereadora  Marielle Franco (PSOL)  e do motorista Anderson Gomes, dois policiais militares, um da ativa e outro da reserva, tiveram participação no crime.

O PM da ativa, disse a testemunha, é do 16º Batalhão da PM do Rio de Janeiro, em Olaria, próximo ao Complexo do Alemão. Já o PM da reserva era do batalhão da Maré. Os dois estariam no carro de onde saíram os disparam que vitimaram Marielle e Anderson.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Estudante da Uerj foi executada em favela da zona norte do Rio, conclui polícia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.