Tamanho do texto

Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá foi interditada nos dois sentidos no início do dia; oito suspeitos já foram presos pela manhã desta terça-feira no Lins

Homens do Exército e das polícias do Rio fazem uma operação em comunidades do Complexo do Lins de Vasconcelos
Reprodução/TV Globo
Homens do Exército e das polícias do Rio fazem uma operação em comunidades do Complexo do Lins de Vasconcelos

Homens do Exército e das polícias Civil e Militar fazem, desde as primeiras horas desta terça-feira (27), uma megaoperação nas favelas do Complexo do Lins de Vasconcelos, na zona norte do Rio de Janeiro. 

Leia também: Jovens mortos em Maricá não eram envolvidos com crime, diz delegada

De acordo com a informações passadas pela Polícia Civil, até as 8h45 de hoje, seis homens, que tinham contra eles mandados de prisão expedidos pela Justiça, já haviam sido presos no Complexo do Lins . Mais tarde, outros dois foram detidos, entre eles um cadeirante.

A ação bloqueou a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá nos dois sentidos. Para os motoristas que precisam passar pela região, as alternativas são a Linha Amarela, o Alto da Boa Vista e a Autoestrada Lagoa-Barra, para quem estiver vindo da zona oeste. 

Em uma nota oficial, o Comando Conjunto diz que "a ação envolve cerco, estabilização dinâmica da área e desobstrução de vias. Serão cumpridos mandados de prisão por parte da Polícia Civil".

A operação resultou em troca de tiros, por volta das 2h da manhã, no início da madrugada. Isso porque policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) entraram na comunidade perto desse horário. Por volta das 6h da manhã, porém, o Exército cercou a comunidade, e não houve mais registros de tiroteio.

Ao todo, foram deslocados 3.400 militares das Forças Armadas para a operação. Além deles, 150 policiais militares e outros 350 policiais civis trabalham no apoio à operação, que visa impedir a fuga de criminosos e coibir roubos de veículos e de cargas.

Leia também: Favela da Rocinha tem novo tiroteio durante ação da PM; um suspeito é morto

Ainda de acordo com a nota divulgada à imprensa, algumas ruas e acessos na região poderão ser interditados, e setores do espaço aéreo poderão ser controlados, oportunamente, com restrições dinâmicas para aeronaves civis. Não há interferência nas operações dos aeroportos. 

Operação Onerat deflagrada em agosto do ano passado

A comunidade já foi alvo de operações de grande porte há pouco tempo. Isso porque, em agosto do ano passado, homens das Forças Armadas atuaram junto às polícias estadual e federal para deflagrar a operação batizada de Onerat. Essa também tinha a intenção de combater o roubo de cargas e o tráfico de drogas na região do Complexo do Lins de Vasconcelos. No episódio, a ação reuniu, ao todo, 5 mil homens.

Leia também: Cinco adolescentes são encontrados mortos com marcas de tiros em Maricá, no RJ

* Com informações do jornal O Dia.