Tamanho do texto

Policiais do Bope entraram em confronto com criminosos e apreenderam um fuzil com suspeito; Rocinha já soma nove mortes em tiroteios desde sábado

Favela da Rocinha, em São Conrado, tem sido palco de recorrentes tiroteios desde o segundo semestre do ano passado
Fernando Frazão/Agência Brasil -18.9.17
Favela da Rocinha, em São Conrado, tem sido palco de recorrentes tiroteios desde o segundo semestre do ano passado

A favela da Rocinha, localizada na zona sul do Rio de Janeiro, voltou a ser palco de intenso tiroteio entre policiais e criminosos na manhã desta segunda-feira (26). Um suspeito foi baleado durante o confronto e acabou morrendo após ser socorrido ao Hospital Miguel Couto, localizado na Gávea. Essa já é a nona morte em tiroteios na comunidade desde o último fim de semana .

De acordo com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o tiroteio ocorreu quando os policiais acessaram a localidade do 199, na parte alta da favela da Rocinha . A Polícia Militar alega que, com o suspeito que acabou morto, foi apreendido um fuzil calibre 5,56. A ocorrência foi levada ainda nesta manhã para registro na delegacia.

Também nesta manhã, equipes do Bope realizaram ação nas comunidades Bateau Mouche e Chacrinha, ambas na Praça Seca, na zona norte da capital fluminense. Segundo informações do aplicativo Onde Tem Tiroteio (OTT), também houve registro de trocas de tiros naquelas regiões.

Fuzil apreendido durante ação do Bope na favela da Rocinha nesta manhã
Divulgação/PMERJ
Fuzil apreendido durante ação do Bope na favela da Rocinha nesta manhã

As operações realizadas nesta manhã não contam com o apoio das Forças Armadas, que atuam no Rio de Janeiro por conta da intervenção federal no estado.

Leia também: Cinco adolescentes são encontrados mortos com marcas de tiros em Maricá, no RJ

Violência marca Rocinha desde setembro

A rotina de violência e tiroteios entre policiais e criminosos no Rio de Janeiro deixou oito mortos na favela da Rocinha somente no último sábado (24). O Batalhão de Choque da Polícia Militar informou na ocasião que foi "surpreendido" por pessoas armadas e "teve de reagir".

Por outro lado, moradores da comunidade relataram que as vítimas se renderam, mas, ainda assim, foram executadas pelos policiais. Segundo nota da Polícia Civil, seis pessoas chegaram a ser levadas para o Hospital Miguel Couto, mas não resistiram.  No ínicio da tarde de sábado, outros dois corpos foram transportados por moradores até a passarela que liga a favela à Vila Olímpica, onde ficaram até a chegada dos peritos. Nenhum policial foi ferido durante a operação. O episódio está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Segundo a nota da PM, a ação contínua na Rocinha, desde setembro do ano passado, levou à prisão de 105 suspeitos e à morte de 48. No período, de acordo com a PM, 22 jovens infratores foram apreendidos, dois policiais foram mortos em confronto e oito ficaram feridos.  Nesse período, houve ainda a morte de uma turista espanhola pela própria polícia , que alegou que o veículo em que ela estava furou o bloqueio policial. Um morador também foi morto e outros 10 ficaram feridos. Foram apreendidos no período 39 fuzis, 3 submetralhadoras, 6 espingardas calibre 12, 65 pistolas, 71 granadas e mais de duas toneladas de drogas.

*Com informações da Agência Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.