Tamanho do texto

Segundo balanço da Polícia Rodoviária, estradas federais apresentaram queda de 14% em números de acidentes, além de ter apresentado menos óbitos e ultrapassagens proibidas durante os dias de feriado; veja dados

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) finalizou nesta quarta-feira  a Operação Carnaval, realizada entre os dias 9 e 14
Divulgação/PRF
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) finalizou nesta quarta-feira a Operação Carnaval, realizada entre os dias 9 e 14

As estradas do Brasil tiveram o Carnaval menos violento dos últimos quatro anos, segundo dados do balanço da Polícia Rodoviária Federal, revelados nesta quinta-feira (15). Em números de acidentes, houve queda de 14% em relação ao ano passado, sendo que os graves – que têm vítimas graves ou mortes – caíram 16%. Ainda segundo nota da polícia, entre os dias 9 e 14 de fevereiro, os agentes focaram na fiscalização de embriaguez ao volante, excesso de velocidade e ultrapassagens proibidas.

Leia também: Rodovias federais foram palco de 249 acidentes graves no feriado de Carnaval

Nesse ano, a PRF intensificou a inspeção nas rodovias federais, especialmente nos estados da Bahia, Minas Gerais e Santa Catarina, onde foi registrada a maior incidência de acidentes graves dos últimos cinco anos, inclusive no feriado de Carnaval do ano passado, quando as três regiões foram responsáveis por 30% das mortes.

A Operação Carnaval registrou queda de 15% no número de ultrapassagens irregulares em relação a 2017. Já o número de feridos em consequência dos acidentes, a PRF contabilizou 1.524 pessoas contra 1.792 no ano passado, uma redução de 15%. Em relação ao número de óbitos, este ano foram registrados 103 contra 150 em 2017 – ou seja, 31% menor.

Leia também: Batida entre ônibus e carretas em rodovia de Goiás deixa ao menos sete mortos

Ainda de acordo com as autoridades, as condutas mais gravosas, que geram maior risco ao trânsito, ou aumentam a possibilidade de consequências graves em caso de acidentes, também apresentaram queda. Foram 25% menos autuações por falta do uso de cinto de segurança, 20% menos condutores flagrados sob efeito de álcool, menos 14% de autuações por falta de capacete, além de queda de 24% nas multas pelo não uso de cadeirinhas por crianças quando obrigatório.

Números da fiscalização

No total, foram fiscalizados 70 mil quilômetros de estradas por mais de 1.700 mil viaturas e 560 motocicletas, além de 1.941 bafômetros e 260 aparelhos de radar portátil – o que contabiliza todo o efetivo da Polícia Rodoviária Federal.

Leia também: Acidente com ônibus deixa cinco mortos e 18 feridos em Belo Horizonte

Os acidentes graves, aqueles com vítimas graves ou óbitos, caiu 16% neste Carnaval
Divulgação/PRF
Os acidentes graves, aqueles com vítimas graves ou óbitos, caiu 16% neste Carnaval

Em nota, a PRF afirma que foram inspecionadas 185.612 pessoas em 176.486 veículos, ao todo, contabilizando 66.329 autos de infração. Já o teste de alcoolemia foi feito em 55.470 motoristas, com 1.610 autuações por embriaguez ao volante e 172 detidos – redução de 24% no número de presos em 2017, quando foram 226. A PRF também autuou 4.517 veículos por falta do uso de cinto de segurança por condutor ou passageiro. A falta de capacete foi motivo de 690 multas, e o não uso da cadeirinha para crianças, quando obrigatório, resultou em 718 flagrantes. Policiais Rodoviários Federais registraram 10.434 ultrapassagens indevidas.

Combate à criminalidade

Além de acidentes e problemas típicos de feriados nas estradas, os esforços de combate ao crime durante o Carnaval culminaram em 1.105 quilos de maconha e mais de 87 quilos de cocaína apreendidos. Também foram recolhidas 41 armas de fogo e 9.910 munições. A PRF recuperou 96 veículos e apreendeu mais de 55 mil pacotes de cigarros. Durante o Carnaval 740 pessoas foram detidas por diversas condutas criminosas.