Tamanho do texto

Antonio Almeida Anaquim alega epilepsia e diz que sofreu um ataque no momento em que dirigia; bebê de oito meses de idade morreu no acidente

Imagens de testemunhas mostram o carro que invadiu o Calçadão e Praia de Copacabana; motorista é investigado
Reprodução
Imagens de testemunhas mostram o carro que invadiu o Calçadão e Praia de Copacabana; motorista é investigado

O motorista responsável pelo atropelamento de 17 pessoas na noite desta quinta-feira (18) em Copacabana, não estava alcoolizado, de acordo com o resultado de exame feito pelo Instituto Médico-Legal (IML). O acidente deixou um bebê morto e quatro pessoas em estado grave .

Antonio Almeida Anaquim dirigia pela Avenida Atlântica e, por volta das 20h30, invadiu o calçadão com seu Hyundai i30 preto, passou pela via, atravessou a ciclovia e foi parar na areia da praia. O motorista alega epilepsia e diz que sofreu um ataque no momento em que dirigia. 

No veículo, policiais encontraram medicamentos utilizados para tratar a doença. Anaquim está prestando depoimento na Delegacia de Copacabana (12ª DP) desde as 2h desta sexta-feira (19) e deve passar a manhã depondo.

Vítimas do acidente

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, uma menina de apenas de oito meses, identificada como Maria Louise, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por não resistir ao atropelamento em Copacabana .

Leia também: Sem Metrô, enfermeiros não vão a posto e vacinação para febre amarela é adiada

Ainda segundo a Secretaria, 16 pessoas estão feridas. Dentre elas, quatro estão em estado grave: a mãe da bebê morta, duas crianças e um turista australiano, que respira com a ajuda de aparelhos por conta de um traumatismo craniano. Eles foram encaminhados aos hospitais Miguel Couto, no Leblon, e ao Souza Aguiar, no centro da cidade. Três vítimas internadas no Leblon tiveram alta pela madrugada.

Revoltado, Darlan Rocha, pai de Maria Louise, esteve na UPA e pediu a prisão de Anaquim. "Ele é um assassino, não deveria estar dirigindo. E agora o que acontece? Minha filha está morta", disse. Darlan, que estava trabalhando na hora do acidente e disse que a mulher estava passeando na praia com a criança.

Habilitação cassada

De acordo com o Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro ( Detran -RJ), Antonio de Almeida Anaquim está com a carteira de habilitação suspensa desde maio de 2014. Ele acumulou 62 pontos por infrações e 14 multas nos últimos 5 anos. Entre as faltas, estão infrações por alta velocidade, parar em local exclusivo para deficiente e avançar o sinal vermelho.

Leia também: "Nunca autorizei Rocha Loures a receber dinheiro em meu nome", diz Temer

O motorista, de acordo com o Detran, não cumpriu a exigência de devolução da habilitação. Por ter cometido crime de trânsito e dirigido com a carteira suspensa , ele terá sua documentação cassada.

* Com informações da Agência Brasil e do jornal O Dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.