Tamanho do texto

Consórcio liderado pela CCR fez lance de R$ 553 milhões e faturou operação de linhas 5-Lilás e 17-Ouro por 20 anos; valor supera expectativa do governo

CCR venceu leilão para operar a Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo, que ligará o Capão Redondo à Chácara Klabin
Tiago Silva/Governo do Estado de São Paulo
CCR venceu leilão para operar a Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo, que ligará o Capão Redondo à Chácara Klabin

O consórcio liderado pela CCR venceu o leilão de concessão das linhas 5-Lilás do Metrô e 17-Ouro do monotrilho de São Paulo. O grupo fez oferta de R$ 553,8 milhões e faturou a licitação para operar as linhas pelos próximos 20 anos. O valor de outorga mínimo pedido pelo governo paulista era de R$ 189,6 milhões.

O certame do Metrô foi realizado nesta sexta-feira (19) na Bolsa de Valores de SP após quase ter sido barrado pela Justiça. Nessa quinta-feira (18), em meio à  greve de metroviários contra a privatização das linhas, o juiz Adriano Marcos Laroca concedeu liminar suspendendo a realização do leilão , mas a medida foi posteriormente revertida pelo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) , desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças.

A disputa judicial foi motivada por suspeitas de que a concessionária CCR (que tem  entre seus controladores a Camargo Corrêa e a Andrade Gutierrez) seria favorecida pelas exigências feitas pelo Governo do Estado de São Paulo no edital da licitação, lançado em março do ano passado. 

O governador paulista e pré-candidato à Presidência, Geraldo Alckmin (PSDB), criticou os autores dessa acusação e comemorou o valor alcançado com o leilão. "Foi um leilão transparente. Essa é uma acusação irresponsável", declarou. "Esperamos ganhos de eficiência e qualidade de serviço para a população. Às vezes, na vida pública, entre o falar e o fazer há um abismo. Em São Paulo, não", completou o pessedebista em tom de auto-promoção, conforme reportado pelo jornal Folha de S.Paulo .

Relação da CCR com o governo paulista e as obras do Metrô

Além do consórcio vencedor (que, além da CCR, inclui ainda o grupo Ruas Invest), também participou da concorrência o consórcio liderado pela CS Brasil, do Grupo JSL, e pela sul-coreana Seul Metrô. A proposta derrotada foi de R$ 388,5 milhões de outorga fixa.

A Linha 5-Lilás do Metrô, cujas obras tiveram início em 2009, pretende ligar o Capão Redondo à Chácara Klabin, na zona sul de São Paulo, com conexões para a linha 1-Azul, 17-Ouro e 2-Verde. O trecho da estação Brooklin até o Alto da Boa Vista é o único em operação até o momento.

Já a Linha 17-Ouro do monotrilho era um projeto previsto para operar já durante a Copa de 2014, mas ainda não há estações concluídas. O empreendimento deve ligar o bairro do Morumbi ao Jabaquara e ao Aeroporto de Congonhas (todos também na zona sul).

Vencedora do leilão realizado nesta sexta-feira, a CCR já opera a Linha 4-Amarela do Metrô e possui ainda contratos de concessão junto ao governo estadual para operar o trecho oeste do Rodoanel, a rodovia Presidente Dutra, e os sistemas de rodovias Anhanguera-Bandeirantes e Castello Branco-Raposo Tavares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.