Tamanho do texto

Condenado a 39 anos de prisão pela morte do casal Manfred e Marisa von Richthofen, em 2002, ele progrediu sua pena para o regime aberto; entenda

À época do crime, Daniel Cravinhos era namorado da filha do casal, Suzane von Richthofen
Arquivo pessoal
À época do crime, Daniel Cravinhos era namorado da filha do casal, Suzane von Richthofen

Condenado a 39 anos de prisão pelo assassinato cruel do casal von Richthofen , em 2002, Daniel Cravinhos deixou a Penitenciária de Tremembé, no interior de São paulo, nesta terça-feira (16). Ele cumpria sua pena em regime semi-aberto desde fevereiro de 2013 e, a partir de agora, vai cumprir o restante em liberdade.

Leia também: Vídeo com padre de cueca circula na internet e gera suspensão em Porteirinha, MG

Na época do crime, Daniel Cravinhos era namorado da filha do casal Manfred e Marisa, Suzane von Richthofen. Foi justamente pela desaprovação desse namoro que, em outubro de 2002, Suzane e Daniel planejaram a morte dos pais da jovem. Além deles, participou do crime o irmão de Daniel, Christian Cravinhos, que está em liberdade desde agosto.

Agora, Suzane passa a ser a única acusada pelo caso Richthofen que continua na cadeia. Porém, embora ela cumpra pena em regime semiaberto, já teve laudo favorável para também progredir para o aberto e deixar a prisão. 

Daniel saiu sob a autorização da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, atendendo a um pedido da defesa, que alega que o ex-competidor de aeromodelismo não cometeu faltas graves na prisão e teve bom comportamento. 

Leia também: PF deflagra oitava fase de megaoperação contra corrupção em Foz do Iguaçu

O ex-namorado de Suzane  cumpriu 16 anos de prisão e ganhou direito a outros dois anos de desconto na pena por ter trabalhado na prisão. Hoje, um laudo constatou que ele está pronto, inclusive, para viver em sociedade. 

Suzane pode sair em breve

Na cola dos outros dois condenados, a filha mais velha do casal assassinado também pode deixar a cadeia em breve. Isso porque a Defensoria Pública de Taubaté também fez um pedido à Justiça para que sua pena progrida para o regime aberto

No início deste ano, um laudo criminológico encomendado pelo Ministério Público atestou, sob o olhar de dois psicólogos e de uma psiquiatra, que a condenada reúne condições de voltar a viver em sociedade.

Leia também: Banalização no uso das tropas federais preocupa, diz comandante do Exército

Além disso, Suzane Richthofen já cumpriu o tempo previsto para permanecer na prisão e trabalhou na penitenciária, assim como o ex-namorado Daniel Cravinhos. A decisão da Justiça sobre o caso da jovem, porém, não tem dada certa para sair.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.