Tamanho do texto

Governo começou a pagar salários atrasados de servidores estaduais nesta sexta, mas cronograma não agrada; 190 soldados já fazem patrulha em Natal

Centros comerciais de Natal (RN) foram palco de arrastões após greve da PM; Força Nacional enviou reforço ao estado
Reprodução/Twitter - @RnBoletim
Centros comerciais de Natal (RN) foram palco de arrastões após greve da PM; Força Nacional enviou reforço ao estado

Já estão nas ruas de Natal e da região metropolitana as novas equipes da Força Nacional enviadas pelo Ministério da Justiça para conter a crise de segurança pública no Rio Grande do Norte . Ainda assim, a onda de violência desencadeada pela greve de policiais militares, civis e agentes penitenciários, que protestam contra atrasos no pagamento de salários, voltou a assolar a capital potiguar.

Ao menos três lojas foram arrombadas e saqueadas durante a madrugada desta sexta-feira (22) sem que ninguém fosse preso, conforme reportagem da Inter TV, filiada da Globo no Rio Grande do Norte . Na noite anterior, outros cinco prédios comerciais foram alvos de saqueadores.

O governador do estado, Robinson Faria (PSD), esteve em Brasília nesta semana para fazer apelos ao governo federal por reforço na segurança e socorro financeiro. O Ministério da Justiça autorizou o envio de 70 agentes da Força Nacional para reforçar o patrulhamento ostensivo em Natal, que já contava com outros 120 soldados. 

Leia também: Ninguém acerta seis dezenas e Mega da Virada vai pagar maior prêmio da história

Cronograma de pagamentos não agrada

Robinson Faria também anunciou nessa quinta-feira (21) ter conseguido a liberação de R$ 600 milhões para o pagamento dos salários atrasados. O governador disse, por meio de sua conta no Twitter, que os salários referentes ao mês de novembro serão pagos até o dia 29 de dezembro. Para quem recebe até R$ 3 mil, o salário foi pago já nesta sexta-feira.

O governo estadual pretende quitar o 13º salário dos funcionários públicos até o dia 10 de janeiro e o dezembro, até o dia 30 de janeiro. 

O cronograma, no entanto, não agradou aos servidores do estado. O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do RN (Sinsp-RN) divulgou nota afirmando que a programação pretendida pelo governador é "uma afronta aos servidores ativos, inativos e pensionistas do serviço público estadual".

Além da série de roubos a lojas ocorridos nesta semana devido à greve de policiais militares no Rio Grande do Norte, o efetivo reduzido de agentes de segurança nas ruas do estado também fez com que centros de comércio popular se tornassem palco de arrastões nos últimos dias. Dezenas de veículos também foram furtados na região metropolitana de Natal e os proprietários encontram dificuldades para registrar a ocorrência, já que a greve atinge também os policiais civis.

Leia também: Mulher é agredida por agente de segurança do Metrô em São Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.