undefined
Reprodução/Twitter
Colégio Goyases, em Goiânia, foi palco de ataque a tiros na última sexta-feira; uma das vítimas ficou paraplégica

A jovem Isadora de Morais , de 14 anos, – uma das vítimas do ataque a tiros na escola Goyases, em Goiânia, na última sexta-feira (20) – está paraplégica. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (25) por meio do boletim médico divulgado pelo Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). 

Leia também: Jovem que matou alunos em Goiás é transferido; pai diz que não sabia de bullying

De acordo com o boletim, a jovem sofreu uma lesão na medula espinhal, perdendo definitivamente o movimento das pernas. Ela segue internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) humanizada, com estado de saúde regular e, apesar de paraplégica , está orientada, consciente e respira sem a ajuda de aparelhos. 

“A adolescente apresenta uma lesão na medula espinhal, no nível da 10ª vértebra da coluna torácica, que comprometeu os movimentos dos membros inferiores de forma definitiva. A paraplegia já havia sido diagnosticada no dia de sua admissão”, informou o hospital.

O crime no Colégio Goyases

ataque ocorreu na manhã de sexta, quando um estudante da mesma turma, que era alvo de bullying por parte de um colega, usou a pistola da mãe, policial militar, para matar o outro adolescente que praticava o abuso.

Seus tiros foram dados aleatoriamento e seis pessoas foram atingidas. O autor do ataque a tiros foi apreendido em flagrante.

O estudante de 14 anos de idade que matou dois colegas e feriu outros quatro, foi transferido nesta segunda-feira (23) para um centro de internação para jovens infratores.

Vítimas feridas

Dos quatro estudantes que ficaram internados, um já recebeu alta. Além de Isadora, continuam internadas as estudantes Marcela Macedo e Lara Fleury. De acordo com o Hugo, Marcela está em uma enfermaria com estado regular. O estado de saúde de Lara não foi divulgado. 

De acordo com depoimento dado pela mãe de Isadora, Isabel Morais, nesta terça-feira (24), a filha chegou a pedir "as pernas de volta" aos médicos. “Eu acredito que Deus vá recuperar a coluna de minha filha”, afirmou Isabel, na ocasião. 

Leia também: Pai de atirador e funcionária da escola prestam depoimento à polícia em Goiânia

"Ela me disse: 'Mamãe, fala para os médicos que quero minhas pernas de volta'", afirmou a mãe de Isadora, no culto que ocorreu nesta terça em homenagem às vítimas. Depois de saber que a filha ficará paraplégica definitivamente, informação confirmada nesta quarta, Isabel ainda não se pronunciou à imprensa. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários