O traficante Rogério Avelino da Silva, conhecido como Rogério 157, firmou aliança com o Comando Vermelho (CV), a maior facção criminosa do Rio de Janeiro. Até então, o número um da venda de drogas na favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul, era integrante da facção Amigos dos Amigos (ADA).

Leia também: Policiais encontram casa de luxo do traficante Rogério 157 na Rocinha

A união entre o Rogério e o CV foi confirmada por meio de mensagens de áudio trocadas entre criminosos e pessoas ligadas à facção e também por uma letra de funk dedicada a exaltar a nova aliança do crime. Vídeo divulgado nas redes sociais mostra baile funk realizado no último domingo (24) no Complexo da Maré, na zona norte do Rio, onde os alto-falantes reproduzem a letra: "Desentoca o arsenal, vai ter tropa, é papo reto/ o Rogério 157 resolveu fechar com o certo”. Assista abaixo:

A troca de facções de Rogério Avelino decorre da mesma rixa interna que desencadeou a série de confrontos armados em curso já há dez dias na favela da Rocinha. De acordo com o Comando da Polícia Militar do Rio, o criminoso Antônio Francisco Bonfim Lopes, conhecido como Nem da Rocinha, ordenou os ataques ao grupo liderado por Rogério. Os dois traficantes integravam até então a facção Amigos dos Amigos (ADA), mas romperam relações após Rogério ordenar, em agosto, a execução de Ítalo de Jesus Campos, conhecido como Perninha.

Você viu?

Leia também: Ostentação e guerra: em meio a conflitos, bandidos da Rocinha 'se exibem' na web

Nem mandou seus aliados atacarem o grupo de Rogério de dentro da cadeia, uma vez que ele está preso em penitenciária federal em Porto Velho, em Rondônia. Já Rogério 157 também chegou a ser preso, em 2010, no episódio da invasão ao Hotel Intercontinental, em São Conrado. O criminoso, no entanto, ganhou liberdade em 2012, por determinação da Justiça.

União entre Rogério 157 e CV dificulta buscas

A aliança de Rogério com o Comando Vermelho dificulta os trabalhos de buscas realizados pelas forças de segurança do Rio e pelas tropas federais  que realizam cerco na favela da Rocinha. Acredita-se que o traficante fugiu pela mata da floresta da Tijuca, que rodeia a Rocinha, e conesguiu abrigo em uma das comunidades controladas pelo CV na zona norte da cidade.

Rogério 157 chegou a negociar sua rendição com a Polícia Federal por intermédio de seus familiares, mas mandou suspenderem as tratativas após a confirmação do cerco do Exército iniciado na última sexta-feira (22). O Disque-denúncia do Rio oferece recompensa de R$ 50 mil para informações que levem à captura do criminoso.

Leia também: Conheça Danúbia Rangel, a "ex-primeira-dama" do crime na Rocinha

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários