Tamanho do texto

Segundo a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, não existe informação sobre feridos durante o confronto do final da tarde deste domingo

A Rocinha viveu novos momentos de tensão no final da tarde deste domingo. De acordo com policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), após um dia de tranquilidade na comunidade, um novo tiroteio foi ouvido no fim do dia. Ainda segundo a PM, não há informações sobre feridos.

Leia também: Terceiro dia de intervenção na Rocinha tem tranquilidade e procura a Rogério 157

Soldados do Exército já auxiliam no cerco à favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio
Vladimir Platonow/Agência Brasil - 22.9.17
Soldados do Exército já auxiliam no cerco à favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio

O clima de guerra vai deixar mais de duas mil crianças sem aula nesta segunda-feira (25). Por medida de segurança, pelo menos oito escolas localizadas na região da Rocinha, zona sul do Rio de Janeiro, não vão funcionar por causa da ocupação na favela. 

Desde a sexta-feira, a favela é alvo de operação das Forças Armadas com a Polícia Militar. O objetivo é prender traficantes ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, e Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, que disputam o tráfico local. Na véspera, confrontos entre criminosos, policiais e militares ocorreram na favela e em outros pontos da cidade. Três suspeitos morreram, nove foram presos e pelo menos 18 fuzis foram apreendidos, além de granadas, munições e drogas.

Rio terá Fundo de Segurança com royalties do pré-sal

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, anunciou neste domingo (24) a criação do Fundo de Segurança, que terá recursos da arrecadação de  royalties  do pré-sal. O projeto de lei com a proposta será enviado esta semana à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Leia também: Ação na Zona Norte do Rio de Janeiro resulta em três mortos e moradores baleados

“Dos 10% [de royalties] que vão para o Fundo de Conservação Ambiental (Fecam), vamos repassar 5% para a segurança pública e garantir a integração com a prefeitura nas operações Segurança Presente e a melhora das condições de trabalho das polícias Militar e Civil”, disse Pezão . De acordo com estimativas do governador, mantida a produção atual, e somada a produção do pré-sal, o fundo deverá ter R$ 197 milhões para a área de segurança

Pezão promete esforços para acabar com criminalidade no Rio
Antonio Cruz/Agência Brasil - 30.3.2017
Pezão promete esforços para acabar com criminalidade no Rio

Ainda segundo o governador, o fundo também poderá receber aportes da iniciativa privada para apoiar ações de segurança pública no Estado. “Além disso, o projeto vai permitir melhorar o programa das UPPs [Unidades de Polícia Pacificadora], inclusive disponibilizando recursos para ações sociais nas comunidades”, disse. A criação do fundo foi anunciada durante entrevista coletiva de lançamento do calendário turístico do Rio de Janeiro .

Invasaões no morro

Nas redes sociais, foram compartilhadas fotos que seriam de casas invadidas ilegalmente por policiais e militares na Rocinha. O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), disse neste domingo que desconhece informações sobre essas invasões: "Eu não tenho informação sobre isso. Estou em contato permanente com muitos moradores que conheço da Rocinha. A PM, com o Batalhão de Choque, o Batalhão de Operações Especiais, o Batalhão de Cães, fica o tempo que for necessário para continuarmos com as apreensões de drogas e fuzis e levar paz àquela comunidade. Ainda tem muita informação que chega ao setor de inteligência", declarou.

Leia também: Rocinha tem novos confrontos e retorno de traficante Rogério 157

 O governador também afirmou que as forças estaduais de segurança permanecerão na favela da Rocinha “por tempo indeterminado” e que a integração das forças estaduais e federais no combate à criminalidade no Estado está descartada. O reforço das Forças Armadas se deu em razão do recrudescimento dos confrontos na favela desde o último domingo.