Tamanho do texto

Além das vítimas fatais, outras 27 pessoas foram resgatadas com vida; pelo menos duas pessoas ainda estão desaparecidas, mas o número segue incerto

Embarcação que naufragou no Rio Xingu, no Pará, foi ancorada próxima da margem do rio para facilitar as buscas
Reprodução/TV Globo
Embarcação que naufragou no Rio Xingu, no Pará, foi ancorada próxima da margem do rio para facilitar as buscas

Os corpos de mais duas vítimas que viajavam a bordo do barco Capitão Ribeiro – que naufragou na última terça-feira (21), no Rio Xingu, entre os municípios de Senador José Porfírio e Porto de Moz, no Pará – foram localizados nesta sexta-feira (25) por equipes de busca. 

Leia também: Samu vê como improvável resgate de sobreviventes em acidente com barco na Bahia

Com isso, já chega a 23 o total de vítimas fatais no naufrágio. Além dos mortos, outras 27 pessoas foram resgatadas com vida. Pelo menos duas pessoas ainda estão desaparecidas. De acordo com a Segup, os trabalhos de buscas continuarão no Rio Xingu até que todas as vítimas sejam localizadas.

Os dois últimos corpos encontrados são, segundo a secretaria estadual de Segurança Pública e Defesa Social ( Segup ), de uma menina, entre oito e dez anos de idade, e de um menino, que deve ter entre um e três anos.

Leia também: Sobe número de mortos em naufrágio no Pará; ainda há desaparecidos

De acordo com as primeiras informações, elas estavam no porão do barco e foram encontradas quando as equipes de busca retiravam as mercadorias estocadas no local.

Número incerto de vítimas

Por enquanto, a Segup trabalha com a informação de que ainda há dois desaparecidos . No entanto, o número exato de pessoas no navio, na hora do acidente, ainda é incerto.

Isso porque, segundo o Comando do 4º Distrito Naval, na documentação que entregou às autoridades antes de iniciar a viagem, em Santarém (PA), o responsável pelo barco informou que havia apenas dois passageiros a bordo.

O secretário adjunto de Segurança Pública e Defesa Social, André Cunha, disse que há evidências, como o número de redes de dormir instaladas e de refeições que seriam servidas, sugerindo que haveria ao menos 50 pessoas na embarcação .

Leia também: Mulher teve BO de tentativa de suicídio divulgado no WhatsApp e será indenizada

Esta manhã, militares da Marinha do Brasil e bombeiros retomaram os trabalhos para tentar trazer à tona o barco do Rio Xingu.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.