undefined
Reprodução/Rede Globo
Motorista de um caminhão de cargas foi rendido, na noite deste domingo, na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro

O motorista de um caminhão carregado com alimentos foi rendido na noite deste domingo (6), na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro. O veículo foi abordado por volta das 21h, na altura da Penha, na zona norte da cidade.

Leia também: PF apreende 320 kg de crack escondidos em caminhão na região de Curitiba

Logo em seguida, a polícia do Rio de Janeiro foi avisada da ação criminosa e começou a perseguir o caminhão. Na perseguição, policiais atiraram na direção do veículo, da empresa Pif Paf, e conseguiram parar o caminhão na altura de Deodoro.

Ao se ver cercado por policiais, o assaltante, que estava na cabine do caminhão, fez o motorista refém.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope), especializado em negociações envolvendo pessoas inocentes, foi chamado e conseguiu, no início da madrugada, libertar o motorista.

Segundo a Polícia Militar, o assaltante tinha uma pistola e, na troca de tiros, ficou ferido. Ele foi encaminhado ao Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, na zona oeste da cidade.

O motorista ficou levemente ferido com estilhaços do vidro do caminhão.

Megaoperação contra o roubo de cargas

O crime aconteceu um dia depois de tropas das Forças Armadas tomarem as ruas da capital fluminense, na madrugada do último sábado (5) , em uma megaoperação de combate ao roubo de cargas na cidade.

A ofensiva envolveu equipes das polícias Civil e Militar do estado, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. Batizada de Operação Onerat, a ação representou a segunda fase da operação federal de segurança no estado.

Ainda nesse sábado, em entrevista coletiva, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, afirmou que a operação integrada de segurança "acaba com o mito do crime organizado poderoso". O ministro falou à imprensa ao lado do chefe de Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, e do secretário estadual de Segurança Pública, Roberto Sá.

A operação, que recebeu o nome de Onerat, cumpriu 15 mandados de prisão, sendo nove de criminosos que já estavam presos . Mais três pessoas foram presas em flagrante e foram apreendidas três pistolas, duas granadas, quatro radiotransmissores, 16 carros e uma motocicleta. Duas pessoas morreram em confronto com a polícia, segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública.

A Operação Onerat foi deflagrada horas após o ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciar que havia ofensivas programadas para combater a violência no Rio de Janeiro. 

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

      Mostrar mais