Cerca de 200 famílias do MST invadiram terras de Eike Batista em Minas Gerais durante a madrugada
divulgação/MST
Cerca de 200 famílias do MST invadiram terras de Eike Batista em Minas Gerais durante a madrugada

Militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) voltaram a  invadir propriedades Brasil adentro em protesto  pela reforma agrária, contra as reformas promovidas pelo governo Michel Temer e pela convocação de novas eleições. As ocupações promovidas sob o lema "Corruptos, devolvam nossas terras", tiveram início nessa terça-feira (25), quando foram tomadas terras do ministro Blairo Maggi, do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira e do Coronel Lima, amigo de longa data de Temer.

Desta vez o alvo dos militantes do MST foi o empresário Eike Batista, que é investigado em ação penal da Lava Jato no Rio de Janeiro. De acordo com o próprio movimento social, cerca de 200 famílias invadiram, durante a madrugada desta quarta-feira (26), um complexo de fazendas em São Joaquim de Bicas (MG) que pertence à falida empresa MMX, de Eike Batista .

Os sem-terra também invadiram, ainda na noite dessa terça-feira, o Projeto do Perímetro Irrigado Santa Cruz de Apodi, no Rio Grande do Norte. A entidade alega que o projeto é resultado de uma articulação entre a chamada bancada ruralista e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB), que está preso desde o mês passado por esquema envolvendo a construção do estádio Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014.

Além da atuação em áreas rurais, os militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra também tomou a sede de órgãos públicos nas últimas horas. Assim foi com as superintendências do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Salvador (BA) e em São Luis (MA).

Você viu?

Leia também: Cunha é capaz de influenciar criminosamente no Congresso, diz Janot ao STF

Juíza manda desocupar fazenda de Ricardo Teixeira

Menos de 24 horas após a tomada de uma fazenda do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira em Piraí, município do Sul Fluminense, a Justiça do Rio de Janeiro determinou a reintegração de posse do local.

O mandato de reintegração foi assinado ainda nessa terça-feira pela juíza Anna Luiza Campos Lopes Soares, da comarca de Pirai. Até o momento não há informações sobre a retirada das cerca de 300 famílias que ocuparam a propriedade.

As invasões promovidas nesta semana pelo MST também foram levadas à Justiça pelo oficial da reserva da Polícia Militar de São Paulo Coronel Lima. Segundo reportagem publicada hoje pelo jornal Folha de S.Paulo, o amigo pessoal do presidente  Michel Temer está cobrando na Justiça indenização de R$ 505 mil pela depredação à sua fazenda em Duartina , cidade do interior de São Paulo.

Esta já é a segunda vez que o MST invade Fazenda Esmeralda, em Duartina (SP), para protestar contra Temer
divulgação/MST
Esta já é a segunda vez que o MST invade Fazenda Esmeralda, em Duartina (SP), para protestar contra Temer


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários