Tamanho do texto

Ao todo, foram apreendidos 760 unidades cortadas e amarradas em 14 feixes

Polícia Militar Ambiental apreendeu grande quantidade de palmito in natura em Cananéia
Divulgação/Polícia Militar Ambiental
Polícia Militar Ambiental apreendeu grande quantidade de palmito in natura em Cananéia

A Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo conseguiu fazer uma grande apreensão de palmito Juçara in natura na tarde desta segunda-feira (24). O crime ambiental era praticado dentro do Parque Largamar, no município de Cananéia, no litoral do Estado.

Leia também: Polícia Militar Ambiental prende três homens com mais de mil peças de palmito

"Os Policiais estavam fazendo uma fiscalização no parque e o diretor responsável pelo local fez uma denúncia que havia uma pequena fábrica para extração ilegal de palmito sendo montada no meio da mata. Os PMs foram até o local que era de difícil acesso e acabaram encontrando o palmito ilegal. Os criminosos não estavam no local", afirmou o Capitão Bonzanini.

O pelotão formado pelo Sargento Renato, Cabo Pereira, Cabo Edésio e Cabo Almeida teve muito trabalho para conseguir recolher todo o palmito. Ao todo, foram encontrados 760 unidades (árvores) cortadas e amarradas em 14 feixes. De acordo com o Capitão, a apreensão representa aproximadamente 1,5 tonelada do produto que deve ser destinada para doação.

"O local é de difícil acesso e precisamos usar até um barco para conseguir recolher todo o palmito. A nossa fiscalização nessa área é constante já que é uma área nativa que ainda tem muito palmito e acaba atraindo os infratores", finalizou o Capitão Bonzanini.

A ocorrência foi apresentada na Delegacia de Polícia de Cananéia. Segundo o Capitão, as quadrilhas que praticam esse tipo de crime geralmente levam o palmito para os grandes centros como São Paulo e também Curitiba.

Leia também: Polícia Militar Ambiental apreende 268 quilos de palmito in natura

Riscos do Botulismo

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente alerta que consumir palmito de origem desconhecida e sem autorização dos órgãos ambientais e de saúde para comercialização, além de fomentar esse tipo de crime, pode trazer consequências sérias para a saúde humana. A Polícia Militar Ambiental afirma que conta com a colaboração da população para combater esse tipo de crime. As denúncias podem ser feitas através do 190. 

Leia também: Uma demonstração de honestidade em meio a um país emaranhado na corrupção