Tamanho do texto

Ao todo foram apreendidos materiais suficientes para a fabricação de mais de 20 balões, além de 9 balões prontos e em diversas etapas de fabricação

A Polícia Militar Ambiental desencadeou nesta quinta-feira (20) mais uma operação contra as quadrilhas de baloeiros que atuam em São Paulo. As ações foram simultâneas em Guarulhos, Ribeirão Pires, Suzano e Jardim Aurora, na capital. Na manhã desta sexta-feira (21), outra fábrica foi fechada na Vila Ema, também na Capital.

Leia também: Polícia Militar Ambiental tem aplicativo para receber denúncia de crime; conheça

Polícia Militar Ambiental fechou cinco fábricas de balões em SP
Divulgação/PMAmbiental
Polícia Militar Ambiental fechou cinco fábricas de balões em SP

"A operação que foi realizada ontem e também com uma ocorrência hoje é fruto de um trabalho de inteligência que conta também com a denúncia das pessoas. A gente já vai sabendo que tem alguma coisa", revelou o Tenente Sukaitis, da Polícia Militar Ambiental .

Leia também: PM Ambiental recupera mais de 100 pássaros e apreende balão de 40 metros em SP

A operação teve um impacto profundo nos grupos de baloeiros que atuam no Estado. Segundo informações do Tenente, cinco suspeitos foram presos em flagrante. Com eles, os Policiais apreenderam materiais suficientes para a fabricação de mais de 20 balões, além de 14 balões prontos, 4 cangalhas, armação de ferro, cinco bocas prontas, fogos de artifício, folhas de seda, corda vareta e 15 kg de parafina. 

As prisões resultaram em R$ 135 mil em multas. Os homens foram encaminhados para Delegacia, mas um dos indivíduos não tinha dinheiro para pagar a fiança e acabou ficando preso.

Além do Tenente Sukaitis, outros 30 Policiais participaram da operação. 

O PMs conseguiram apreender 14 balões prontos para soltura
Divulgação/PMAmbiental
O PMs conseguiram apreender 14 balões prontos para soltura


Perigos dos balões

A fabricação e comercialização clandestina de balões representa múltiplos riscos para a sociedade, a começar pela aviação. Balões ilegais são um verdadeiro pesadelo para os pilotos, podendo causar desde colisões até a necessidade de efetuar manobras evasivas abruptas, causando interrupção e atrasos de pousos e decolagens.

Balões ilegais também são grandes agressores da população que esta no solo, causando todo tipo de problemas, a começar pela interrupção no fornecimento de energia elétrica. É mais comum do que se imagina, esses artefatos incendiários caírem sobre cabos condutores das linhas de transmissão e de distribuição de eletricidade, e até mesmo dentro de subestações, causando curtos-circuitos e incêndios, e tendo como consequência a interrupção de energia em uma grande área da cidade.

Leia também: Coronel da PM Ambiental Alberto Sardilli alerta para os perigos de soltar balões 

Do ponto de vista ambiental, os balões são um dos seus piores inimigos, com grande potencial ofensivo. Ao cair em matas e florestas o incêndio é praticamente garantido, causando destruição não apenas a flora, mas também colocando em risco o habitat e vida de animais.

Além disso, os balões não tripulados também causam danos ao patrimônio público e privado ao cair sobre edificações e causar incêndios. Para piorar essa situação, verdadeiros bandos de criminosos invadem residências, pulam muros e sobem em telhados para conseguir "troféus" e recuperar partes dos balões. Segundo a Polícia, esses bandos são verdadeiras quadrilhas organizadas que, não raramente, portam armas de fogo colocando em risco a vida do cidadão de bem.