Tamanho do texto

PM morto em frente a escola havia acabado de se formar sargento; o Policial estava a caminho do trabalho quando foi abordado por dois criminosos

PM bragantino é morto em tentativa de assalto em São Paulo
Reprodução/Facebook
PM bragantino é morto em tentativa de assalto em São Paulo

Um Policial Militar foi morto no início da manhã desta quarta-feira (5) durante uma tentativa de assalto na região do Aricanduva, Zona Leste de São Paulo. O assassinato do Sargento aconteceu em frente a escola Estadual Nagib Izar por volta das 5h20.

Leia também: Cinco traficantes ganham passagem de ida para a cadeia. Cortesia da ROTA

De acordo com as primeiras informações, o Policial Militar Carlos Roberto estava em uma moto a caminho do trabalho quando foi abordado por dois criminosos. A polícia ainda apura se o PM tentou reagir ou se os assaltantes simplesmente o identificaram como policial.

O Sargento ainda chegou a ser socorrido com vida e foi levado ao pronto-socorro do Jardim Iva, também na Zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos. Os criminosos atiraram cinco vezes, mas não levaram nada. O caso foi registrado no 41º Distrito Policial, na Vila Rica.

Leia também: Polícia Militar versus "fake news", entenda

Carreira na PM

O Policial morto nesta manhã havia se formado na Escola de Sargentos recentemente. Carlos Roberto trabalhou por 21 anos na PM, em Bragança Paulista, no interior do estado, até ser promovido. Carlos Roberto estava na capital há um ano.

Após concluir o curso de sargento, o PM começou a trabalhar na 1ª Companhia do 19º Batalhão, na região da Vila Rica, também na Zona Leste da cidade. Antes de deixar a região de Bragança, ele deixou uma mensagem em sua rede social: “Quero agradecer aos meus amigos de farda e a população bragantina,por me receber de braços abertos nesses 21 anos que eu estive,aqui em Bragança,onde pude fazer muitos amigos e construir a minha família. Se Deus me permitir logo estarei aqui de volta a minha cidade querida,voltar a trabalhar e defender a população”, publicou.

Leia também: Batalhão de Choque do Estado de São Paulo defende a democracia

O caso foi registrado como latrocínio (roubo seguido de morte), no 41º DP. Investigadores vão buscar imagens de câmeras de segurança na tentativa de identificar os criminosos que assassinaram a sangue frio um Policial Militar que estava apenas caminhando para mais um dia trabalho honesto.